'Era inevitável', diz Serra sobre decisão do Senado de cassar Demóstenes

Durante caminhada em bairro da zona leste de São Paulo, candidato à Prefeitura também colocou um ponto final nos rumores de que o coordenador de sua campanha estaria de saída

iG São Paulo |

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, ex-governador José Serra , foi questionado nesta quarta-feira (11), durante caminhada na região da Vila Sônia, zona leste da capital, sobre a cassação do mandato do ex-senador Demóstenes Torres (sem partido-GO). Para o tucano, não havia outra alternativa aos parlamentares. 

Leia mais: Parlamentares dizem que Senado cumpriu dever ao cassar Demóstenes

Leia também: Demóstenes será substituído por ex-marido da mulher de Cachoeira

Fernando Cavalcanti/Milenar
Durante caminhada em bairro da zona leste de São Paulo, Serra falou sobre a cassação de Demóstenes Torres no Senado

"Acho que era inevitável, e olha que o Senado não tem a tradição de cassar (mandatos)", afirmou Serra ao ser perguntado sobre o principal fato político do dia no País. 

Twitter: Julgamento do senador foi o assunto mais comentado da rede social

Eleições 2012: Serra é multado pela quinta vez por propaganda eleitoral antecipada

Campanha: Serra vive momentos de constrangimento e humor na Liberdade; assista

Sobre a campanha à Prefeitura, o ex-governador aproveitou o evento público para colocar fim aos boatos de que o coordenador de sua campanha, Edson Aparecido, estaria prestes a abandonar o cargo. Aparecido participou da caminhada ao lado de Serra. 

"Não foi nada programado", disse o candidato aos jornalistas quando questionado se o encontro entre os dois tinha o propósito de acabar com as especulações acerca da possível saída do coordenador da campanha.

Com Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG