'É página virada', diz Sarney sobre cassação de Demóstenes

O presidente do Senado afirmou que a decisão da maioria dos parlamentares refletiu a vontade popular, mas admitiu que sessão desta quarta-feira não deve ser 'comemorada'

iG São Paulo |

Após a sessão desta quarta-feira (11) que culminou na cassação do mandato do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), avaliou que a decisão tomada pelo Senado reflete a vontade popular. Segundo Sarney, o processo que o senador goiano respondeu por quebra de decoro já é uma “página virada” no parlamento.

Leia mais: Demóstenes será substituído por ex-marido da mulher de Cachoeira

Leia também: Senado cassa mandato de Demóstenes Torres

"Esse episódio é página virada, uma vez que o Senado já tomou sua decisão. Evidentemente, agora vamos seguir nos nossos trabalhos normalmente. A decisão foi em sintonia com a vontade popular do País", disse Sarney ao deixar o plenário da Casa. 

Defesa: 'Por que minha cabeça tem de rolar?', questionou Demóstenes

Twitter: Julgamento do senador foi o assunto mais comentado na rede social

AE
Presidente do Senado disse que caso Demóstenes é 'página virada', mas lamentou episódio: ''Não é uma data que a gente possa comemorar'

Na avaliação do presidente do Senado, a decisão tomada de forma colegiada pelos senadores demonstra que a democracia está consolidada no País e que as instituições estão funcionando “muito bem”.

arney admitiu, no entanto, que a sessão de hoje foi um episódio triste na história do Senado e não deve ser comemorada.

"Não é uma data que a gente possa comemorar. Foi difícil para todos nós senadores participar da sessão, mas tínhamos que cumprir com o nosso dever", afirmou.

Por 56 votos a 19, os parlamentares entenderam que o senador goiano quebrou o decoro parlamentar ao manter relações estreitas com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, que está preso desde fevereiro sob suspeita de comandar um esquema de jogos ilegais. Cinco senadores se abstiveram.

Esta é a segunda vez que um senador é cassado na história do País. Antes de Demóstenes, o senador Luiz Estevão, do Distrito Federal, em 2000, teve seu mandato cassado pelo envolvimento no desvio de verbas na construção do prédio do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo.

Com Agência Senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG