Minas Gerais pode ser primeiro estado do País a acabar com 'mandato tampão'

Proposta de Emenda Constitucional (PEC) precisava de 48 votos para passar e foi aprovada por unanimidade pelos 56 deputados estaduais; texto segue para comissão e ao governador

Agência Estado |

Agência Estado

Proposta de Emenda Constitucional aprovada pelos deputados mineiros nesta terça-feira (10) pode transformar Minas Gerais no primeiro estado brasileiro a acabar com a posse de deputados suplentes durante o recesso parlamentar, o chamado "mandato tampão". A PEC 8/2011 precisava de 48 votos para passar e foi aprovada por unanimidade pelos 56 deputados estaduais.

Relembre: CCJ do Senado aprova PEC que reduz número de suplentes

Saiba mais: STF decide que vaga de suplente pertence à coligação

A proposta agora vai passar pela Comissão de Redação Final antes de ser enviada ao governador Antonio Anastasia (PSDB). De acordo com o texto, fica proibida a posse de suplentes durante o mês de recesso, em janeiro, e alterado o parágrafo primeiro do artigo 59 da Constituição mineira. Esse parágrafo prevê a convocação do deputado suplente apenas nos casos de vaga provocada por licença do deputado superior a 125 dias. A exceção para a posse no recesso são as convocações extraordinárias.

Atualmente, no final de cada legislatura, quando um deputado titular se afasta do cargo durante o recesso, para tomar posse em cargos de secretarias ou diretorias de Estado, um suplente toma posse em seu lugar, contrata equipe, recebe salário e usa a estrutura pública. Isso tudo para apenas um mês de mandato.

Em Minas, seis suplentes foram nomeados em mandatos tampões entre 4 e 31 de janeiro de 2011, gerando um custo de R$ 600 mil aos cofres. O autor da proposta, Ulysses Gomes (PT-MG), disse que a aprovação representa a possibilidade de "ecoar uma questão que incomoda a sociedade", por seu caráter legal ou mesmo moral.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG