Serra vive momentos de constrangimento e humor na Liberdade, em São Paulo

Candidato tucano à prefeitura enfrentou críticas, dançou zouk com uma advogada e fez pedido durante cerimônia tradicional japonesa no Festival das Estrelas

Ricardo Galhardo - iG São Paulo |

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra , passou por momentos de constrangimento e outros de bom humor durante caminhada pela Liberdade, tradicional bairro das colônias orientais paulistanas, na tarde fria e chuvosa deste domingo.

Campanha:  Serra cobra união: 'Quem amola aliados está sabotando'

Leia mais: Com propaganda liberada, campanha tem largada oficial nesta sexta

Serra, acompanhado pelo candidato a vice, Alexandre Schneider (PSD), visitou a milenar celebração do Tanabata Matsuri, o Festival das Estrelas japonês.

Logo no início da caminhada, o ex-governador foi abordado pelo professor Caroll Colber, que dá aulas na rede pública há 30 anos e reclamava do salário de R$ 3.026,48 por mês. Com o holerite na mão, Colber tentou falar com Serra, mas foi impedido pelos seguranças do candidato.

Assista ao vídeo de Serra dançando zouk


“Só queria mostrar a realidade para ele. Estou prestes a me aposentar e recebo este salário miserável”, disse o professor que já foi filiado ao PT mas garante ter abandonado a militância partidária.

Pouco depois o candidato tucano foi chamado de “horrível” por um eleitor enquanto visitava uma padaria. Serra negou que tenha respondido à ofensa com um palavrão. “Você (repórter) trocou ‘bosta’ por ‘gosta’. Eu disse: ‘você depois me diz por que não gosta’. É uma grande notícia”, afirmou Serra, em tom irônico, ao ser questionado por um jornalista em entrevista coletiva.

Apesar dos constrangimentos, a caminhada teve lances de descontração e bom humor. O candidato chegou a ensaiar passos de zouk, dança caribenha muito popular na região norte do Brasil, com a advogada Graziella Pisano.

Serra bem que tentou escapar mas cedeu diante da insistência da bela advogada, que integra o Movimento Lambazouk, uma das atrações do Festival das Estrelas.

Bem humorado, o candidato posou pacientemente para fotos com dezenas de admiradores, cumprimentou donos das barracas na feira da Liberdade e aproveitou para tirar fotos com seu telefone celular. Serra aderiu com entusiasmo ao Instagram - aplicativo pelo qual usuários podem compartilhar imagens -  e não perde a oportunidade de fazer clicks que podem ser usados na rede social. Em alguns casos ele pedia para os fotografados sorrirem.

Ricardo Galhardo/iG
Serra escreve pedido na cerimônia japonesa do Tanzaku: 'Paixão por São Paulo'

O tucano também participou da cerimônia do Tanzaku, na qual a pessoa escreve um pedido em um pedaço de papel e pendura em um bambu. A cor do papel determina a natureza do pedido. Serra escolheu o vermelho (paixão) e escreveu: “paixão por São Paulo”.

Pouco depois Serra fez outro pedido, desta vez no ritual do Daruma, no qual a pessoa pinta um dos olhos de um boneco de porcelana, faz o pedido secreto e pinta o outro olho depois que o desejo for realizado. “Não vou dizer qual é o pedido. É secreto”, brincou o candidato. “Depois a gente volta aqui para preencher o outro olho”.

Antes do ritual, o presidente da Associação Cultural e Assistencial da Liberdade, Hirofumi Ikezaki, disse esperar que o tucano, líder absoluto nas pesquisas de opinião, vença ainda no primeiro turno.

Na rápida entrevista coletiva, Serra se recusou a comentar declarações do adversário Fernando Haddad (PT), que acusou o tucano de espalhar medo entre os adversários ao adotar o discurso contra a hegemonia petista, e justificou o aumento na previsão de gastos de campanha.

Em 2008, o então candidato Gilberto Kassab (PSD) estipulou um teto de R$ 30 milhões. Este ano Serra registrou o valor de R$ 98 milhões. “Aumentou o custo, primeiro. Segundo, isso é o teto. Não significa que necessariamente tenhamos que gastar”, disse Serra.

De acordo com ele os programas de rádio e TV são o maior fator de encarecimento das campanhas.

Na saída, o candidato ainda bebeu uma dose de saquê oferecida por senhoras da comunidade japonesa de São Paulo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG