Veja como será o 1º dia de campanha dos candidatos à Prefeitura de São Paulo

No maior colégio eleitoral do País, maioria dos postulantes ao cargo de prefeito fará caminhadas com militantes no centro e na periferia; Serra tem reuniões no QG do PSDB

iG São Paulo |

AE
José Serra, do PSDB, optou por reuniões fechadas com coordenadores de sua campanha

Em São Paulo, maior colégio eleitoral do País, os principais candidatos à Prefeitura adotaram estratégias diferentes neste início da campanha. Líder das intenções de voto de acordo com a última pesquisa do Datafolha, divulgada no dia 27 de junho , com 31% da preferência do eleitorado, o ex-governador José Serra (PSDB) não estará nas ruas no primeiro dia de propaganda. O tucano participará às 12h de um evento fechado no Edifício Joelma, no centro da capital paulista, ao lado de coordenadores de campanha, militantes e candidatos a vereador da coligação formada com PSD, DEM, PV e PR. “Tínhamos pensado em outras coisas, mas chegamos à conclusão de que não é hora ainda para muito barulho, muito espetáculo”, afirmou o coordenador de mobilização da campanha tucana, Walter Feldman, à coluna Poder Online .

Especial Eleições 2012: iG aproxima cidadão da política

Calendário eleitoral: Confira as datas dos principais eventos das eleições 2012

Renato S.Cerqueira/Futura Press
O petista Fernando Haddad fará uma caminhada com a militância na região central da cidade

Os primeiros eventos de Serra nas ruas devem acontecer apenas a partir da próxima semana em regiões da periferia de São Paulo. No último dia 27 de junho, o tucano foi multado em R$ 5 mil por propaganda eleitoral antecipada em um site na internet. No dia anterior, quem tomou multa da Justiça eleitoral foi o candidato do PT, Fernando Haddad, por causa da entrevista com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Programa do Ratinho, em 31 de maio.

No primeiro dia de campanha, Haddad optou por dar a largada em um encontro com a militância. Segundo o coordenador da campanha, vereador Antonio Donato, às 15h desta sexta-feira haverá uma caminhada da Praça do Patriarca até a Praça da Sé, na região central, envolvendo Haddad e militantes petistas. “Nesta nova etapa da campanha, a agenda vai ter muito corpo a corpo nos centros comerciais de bairro. Comícios, só mais para frente, na reta final”, afirmou Donato ao iG. Ele também disse que o ex-ministro participará de debates e palestras. No último Datafolha, Haddad aparece com 6% das intenções de voto, dividindo o terceiro lugar com Soninha Francine (PPS), Gabriel Chalita (PMDB) e Netinho de Paula (PCdoB), que já desistiu da candidatura para apoiar o petista .

Especial iG: Leia todas as notícias sobre a eleição

Guia do eleitor: Tire suas dúvidas e saiba como usar a urna eletrônica

Renato S.Cerqueira/Futura Press
Vice-líder nas pesquisas, Celso Russomanno tomará café da manhã com militantes

Vice-líder na pesquisa, com 24%, o candidato do PRB, Celso Russomanno, anunciou que iniciará a campanha “oficial” à Prefeitura de São Paulo no Marco Zero da cidade, localizado na Praça da Sé, para uma conversa com os eleitores . O candidato, que terá como vice na chapa o advogado Luiz Flávio Borges D’Urso , que abriu mão da candidatura própria pelo PTB, deve ir ao local de metrô e tomar um café com militantes por volta das 10h. “Simbolicamente, vamos iniciar essa empreitada do zero. Para isso, nada melhor que dar o primeiro passo a partir do coração de São Paulo. O objetivo é percorrer todas as regiões e o maior número possível de bairros. Nossa mensagem vai chegar a cada um dos paulistanos”, postou Russomanno em seu perfil no Twitter.

AE
A candidata do PPS, Soninha Francine, vai tomar café no Pátio do Colégio e discutir propostas

Outros candidatos

A candidata do PPS à Prefeitura de São Paulo, Soninha Francine, vai dar o pontapé inicial em sua campanha no Pátio do Colégio, em um café da manhã programado para as 11h30. Na próxima terça-feira (10), a ex-vereadora deve realizar uma apresentação de seu plano de governo para os candidatos a vereador pelo PMN , único partido aliado ao PPS na disputa. De acordo com a assessoria da campanha de Soninha, a candidata “gosta de falar” e participará de reuniões e debates em faculdades e associações de bairro para apresentar suas propostas. Além disso, o PPS utilizará muito as redes sociais e o blog do partido para divulgar a candidatura, seguindo a linha adotada na campanha de 2008. Na ocasião, Soninha terminou em quinto lugar, com 266.978 votos (4,19% dos votos válidos).

AE
Gabriel Chalita, do PMDB, ao lado de Michel Temer (centro): caminhada em bairro da periferia

O PMDB, que oficializou a candidatura de Gabriel Chalita após 16 anos sem lançar um nome próprio na disputa pela Prefeitura de São Paulo , informa que o ex-secretário estadual de Educação participará nesta sexta de uma caminhada na Chácara Bananal, bairro da periferia da cidade, na zona sul, a partir das 11h. O peemedebista, que terá uma chapa puro-sangue com a médica Marianne Pinotti , filha de José Aristodemo Pinotti, último candidato a prefeito pelo partido, em 1996, também tem reuniões previstas para este fim de semana com dirigentes do partido e aliados.

Candidato do PDT e com 3% das intenções de voto no Datafolha, o deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força Sindical, vai dar a largada de sua campanha com uma caminhada com militantes e lideranças partidárias pelas ruas do Brás, zona leste da capital, a partir das 10h, partindo do Largo da Concórdia. Na próxima segunda-feira (9), Paulinho deve receber o apoio do ministro do Trabalho, Brizola Neto, do PDT, que assumiu a pasta no governo Dilma Rousseff no início de maio deste ano .

Com apenas 1% de intenção de voto de acordo com o Datafolha, o deputado estadual Carlos Gianazzi (PSOL), participará de um ato com a militância do partido nesta sexta-feira na esquina da Avenida Paulista com a Rua Augusta, tradicional ponto de encontro dos psolistas. Segundo a assessoria do PSOL, é esperada a presença do deputado federal Ivan Valente (SP) e de Plínio de Arruda Sampaio, candidato da legenda à Presidência da República em 2010. Sem muitos recursos, o partido deve basear sua campanha na “força da militância” e nas redes sociais, como o Twitter e o Facebook, como aconteceu há dois anos nas eleições presidenciais.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG