Em aliança de 20 partidos, prefeito do Rio terá mais da metade dos 30 minutos de propaganda obrigatória. Twitter, facebook e até arrecadação online tentam minimizar impacto

Os candidatos de oposição à Prefeitura do Rio apostam na internet para tentar compensar o fato de terem de dividir entre si menos a metade do tempo na TV. Protagonista de aliança com 20 partidos, o prefeito Eduardo Paes terá 16 min 24seg dos 30 minutos de propaganda obrigatória. Os demais, que o têm como alvo principal, precisarão dividir o tempo restante. A campanha começa oficialmente nesta sexta-feira (6).

Calendário eleitoral: Confira as datas dos principais eventos das eleições 2012

Especial iG: Leia todas as notícias sobre a eleição

Paes construiu uma aliança de 20 partidos e terá o maior tempo de TV: mais de 16 minutos
AE
Paes construiu uma aliança de 20 partidos e terá o maior tempo de TV: mais de 16 minutos

Os quatro principais adversários de Paes – Rodrigo Maia (DEM), Marcelo Freixo (PSOL), Otávio Leite (PSDB) e Aspásia (PV) – estão ativos no Twitter e Facebook e Youtube. Pretendem, com as novas mídias, minimizar a grande vantagem do rival na TV, tradicional meio de propaganda política no País.

“O meio digital forma opinião e serve para mostrar lados que, muitas vezes, a mídia não exibe. Assim, pode contaminar a imagem da gestão administrativa, que tem a máquina ao seu lado”, opina o presidente regional do PSDB, deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha, um dos coordenadores da campanha do deputado federal Otávio Leite, candidato do PSDB, que tem o terceiro maior tempo, 3 minutos e 29 segundos.

Leia mais:  Justiça manda prefeito retirar 'propaganda' do Facebook

Marcelo Freixo: Candidato do PSOL no Rio promete 'Primavera Árabe'

“A internet não substitui a campanha de rua e a rede de militantes, mas vai nos beneficiar. Nossa militância é formada especialmente por jovens que cresceram nesse ambiente virtual e imaginamos que a importância do Facebook, Twitter e do nosso site será grande”, disse Freixo, que contará com apenas 1min33.

Guia do eleitor: Tire suas dúvidas e saiba como usar a urna eletrônica

Marcelo Freixo, do PSOL, aposta na internet para levantar fundos e alavancar sua candidatura
Fernando Alvim/Futura Press
Marcelo Freixo, do PSOL, aposta na internet para levantar fundos e alavancar sua candidatura

A equipe do postulante do PSOL já está com uma plataforma pronta para arrecadar recursos pela internet. “Queremos volume de doações de R$ 15, R$ 20, R$ 30 e R$ 50”, afirmou Freixo. O maior caso de sucesso do gênero foi o da candidatura do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama . Em 21 meses, Obama obteve US$ 500 milhões em 6,5 milhões de doações pela internet – a média foi de US$ 80 e a maioria fez mais de uma oferta. Na atual campanha de reeleição, Obama já juntara US$ 96 milhões só em março e abril.

Na realidade brasileira e em uma eleição municipal, evidentemente, o candidato é muito menos ambicioso. Ele imagina conseguir arrecadar no total cerca de R$ 2,5 milhões, somando doações convencionais e pela internet.

Saiba mais: Cesar Maia e Garotinho usam 'valores cristãos' contra Paes no RJ

Rodrigo Maia (DEM) e Clarissa Garotinho (PR), sua vice, atuam fortemente na internet, c om perfis no Twitter e no Facebook. A chapa terá o segundo maior tempo de exibição na TV, 3min56, mas já começou pré-campanha na internet para receber reclamações sobre a cidade, que possam vir a ser usadas na disputa.

Rodrigo Maia e Clarissa Garotinho devem usar na campanha a herança familiar na capital fluminense
Pedro Kirilos/ Agência O Globo
Rodrigo Maia e Clarissa Garotinho devem usar na campanha a herança familiar na capital fluminense

Para Otávio Leite (PSDB), “a internet vai viver o ápice nesta eleição”. “Metade da população da cidade está no Facebook. Esses canais democratizam as oportunidades de debate. A maioria dos eleitores terá pesquisado e se informado sobre candidatos, e a internet possibilita o exame mais detalhado. A campanha esquenta mesmo em agosto, mas a internet começa antes e proporciona a antecipação mais presente”, disse.

Adversários focam ataques em Paes

Não existe um pacto de não-agressão acordado formalmente entre eles, mas a tendência natural é a de todos focarem os ataques a Paes e sua gestão, para provocarem o segundo turno.

A maior parte das mensagens no Twitter e Facebook, por ora, já é de críticas a Eduardo Paes e ao governador Sérgio Cabral (PMDB), seu aliado.

“Elevado da Perimetral com tráfego intenso. Derrubou? Vira engarrafamento subterrâneo”, escreveu o tucano Otávio Leite, sobre a proposta de Paes de pôr abaixo uma importante via do centro da cidade. Aspásia postou: “Lixo no entorno do Galeão; Os órgãos públicos não decidem e os detritos se acumulam. Hora de sair das discussões para a ação.”

Mas nem tudo é tão direto ou objetivo nas mensagens dos candidatos na internet. Em suas escritos no twitter, o advogado Otávio Leite adora usar citações, como “Inteligência e caráter são os objetivos verdadeiros da educação”, de Martin Luther King, Jr., ou “A Arte de viver consiste em tirar o maior bem do maior mal”, de Machado de Assis.

Outra do tucano foi uma frase de Jean Cocteau: “Não sabendo que era impossível, foi lá e fez.” Talvez funcione como um autoestímulo diante das dificuldades da campanha que se inicia nesta sexta-feira (6).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.