Às vésperas de proibição, prefeito de São Bernardo inaugura obra com Dilma

Marinho, candidato à reeleição e amigo de Lula, aproveitou a presença dos dois no evento para falar das suas realizações no comando da cidade

Bruna Carvalho - iG São Paulo | - Atualizada às

O atual prefeito de São Bernardo do Campo e candidato à reeleição, Luiz Marinho (PT), aproveitou nesta quinta-feira a presença da presidenta Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , em um evento de inauguração de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h em sua cidade, para exaltar as realizações de seu governo, principalmente na área da saúde.

Leia também:  Dilma enfrenta protesto de estudantes da Universidade Federal do ABC

Poder Online:  Mineira, Dilma entra na campanha em Belo Horizonte

Roberto Stuckert Filho/PR
Ao lado do ministro Padilha e do prefeito Luiz Marinho, Lula brinca com Dilma em evento de inauguração de UPA


A inauguração ocorre dois dias antes de a Justiça Eleitoral proibir a participação de candidatos em eventos desse tipo. Marinho é muito próximo a Lula, que deve ajudá-lo em sua campanha.

Perfil:  Perto de Lula, Marinho ganha força e inimigos

Presidenta: Dilma fica fora das eleições, mas libera ministros para fazer campanha

“Nunca antes na história dessa cidade, se fez tanto investimento público em habitação, saúde e educação", disse Marinho, usando um bordão famoso do ex-presidente Lula quando estava no comando do País.

Marinho criticou ainda a situação dos pronto-socorros na gestão anterior à sua, do tucano William Dib, hoje deputado federal. “(As UPAs) vêm substituir os prontos-socorros precários. Pensa em uma rede pública de saúde precarizada. Pensou? Dobra. Essa é a rede que eu assumi em 2009. Infelizmente não era só a rede de saúde, era a educação, de esporte, de cultura. Era uma tragédia.”

O atual prefeito também aproveitou o evento para prometer a entrega de um novo Hospital das Clínicas em São Bernardo do Campo e convidou a presidenta para estar presente na inauguração, prevista para novembro.

Dilma e os protestos

Dilma enfrentou durante o evento um protesto de estudantes, professores e servidores técnicos da Universidade Federal do ABC (UFABC), uma das que aderiu à greve das universidades federais desde maio.

No intervalo dos discursos, os estudantes gritaram: “Dilma, a culpa é sua, minha aula é na rua”. Eles também levantaram cartazes pedindo a retomada das negociações entre professores, servidores técnicos e a presidenta, que estão suspensas.

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

Veja todas as notícias sobre as eleições em SP

Ao final do evento, a presidenta respondeu aos manifestantes: “As coisas vão para o lugar na hora certa”. Marinho também se dirigiu ao grupo que realizava o protesto, dizendo que há um conflito grevista, que será resolvido no momento certo da negociação.

Antes, em seu discurso que marcou sua primeira visita oficial a São Bernardo do Campo, Dilma elogiou o ex-presidente Lula pelas iniciativas em seu governo na área da saúde e disse que seu "legado é fazer avanços nesse processo". Porém, ela admitiu as dificuldades que o governo enfrenta.

"Nós estamos em um grande esforço. Porque nós reconhecemos que têm falhas no serviço de saúde. E aqui, só uma parceria para dar conta disso. O governo federal fazendo a sua parte, o governo do Estado fazendo a parte dele, e os municipios fazendo a sua parte", disse.

Lula destaca futebol 'feijão com arroz' e projeta ida ao Japão com o Corinthians

Apesar da expectativa em torno da fala de Lula, em parte pela vitória de seu time, o Corinthians, na Copa Libertadores da América, o ex-presidente não fez um discurso. 

Participaram do evento a ministra do Planejamento, Miriam Belchior; o ministro da Saúde, Alexandre Padilha e a ex-primeira-dama, Marisa Letícia.

    Leia tudo sobre: eleições2012eleições2012sãopauloluiz marinhodilmalula

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG