Presidente do TRE-RJ vai proibir uso de celular na hora do voto

Objetivo, segundo ele, será evitar que o eleitor seja coagido a fotografar sua opção de voto. Quem descumprir, poderá ser preso

iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

O presidente do TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro), desembargador Luiz Zveiter, afirmou nesta segunda-feira (2) que proibirá o uso do telefone celular na hora de votar. Segundo ele, a medida é evitar que os eleitores sejam coagidos a fotografarem o voto.

"Vamos proibir que os eleitores portem celular na hora de votar, sob pena de prisão. "Queremos evitar que o eleitor seja coagido a fotografar o voto, trata-se de uma forma de proteger o cidadão", declarou.

Segundo Zveiter, todos vão ser orientados a deixar o celular com o mesário para votar. "Inclusive o próprio presidente do TRE-RJ", exemplificou.

O anúncio do desembargador foi feito durante visita ao TRE-RJ da presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Carmem Lúcia. Ela adiantou que estuda ainda a possibilidade do envio de tropas federais ao Rio e mais quatro estados para garantir a tranquilidade do processo eleitoral.

O TRE-RJ planeja que o Exército atue já nas campanhas eleitorais, para resguardar o direito de os candidatos comparecerem a todas as comunidades fluminenses.

"Eles não ficarão fixos num local e vão atuar em conjunto com as Polícias Federal, Civil, Militar e Rodoviária Federal", explicou o desembargador Zveiter.

Em um primeiro mapeamento das necessidades, o presidente do TRE-RJ entende que a atenção maior da Justiça Eleitoral deve ser com a segurança de áreas com UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), sob ameaças de milícias, na região do Comperj, no município de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense e em Rio das Ostras, na Região dos Lagos.

"Nas comunidades com UPPs, vamos evitar deslocar os policiais que ali atuam, para não deixar a população desprotegida", disse.

No dia da votação, em 7 de outubro, o TRE-RJ pretende montar zonas de exclusão em áreas onde haja suspeita de influência de milícias e outros grupos criminosos.

"Os locais de votação dessas regiões e o seu entorno serão guarnecidos. Sem restringir o direito de ir e vir da comunidade, agiremos para que os eleitores votem e deixem rapidamente aquela área", disse o desembargador Zveiter.

"Estamos estudando essas medidas e, no dia da eleição, vai haver uma Central de Monitoramento, para coordenar as ações de segurança", disse o presidente do TRE-RJ.

    Leia tudo sobre: eleições2012Rio de Janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG