Em convenção do PCdoB, Haddad critica gestão Kassab, da qual aliado faz parte

Evento oficializou apoio dos comunistas ao candidato do PT em São Paulo; PCdoB ocupa a Secretaria Especial da Copa do Mundo de 2014 na administração municipal

Ricardo Galhardo - iG São Paulo | - Atualizada às

O pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, ex-ministro da Educação Fernando Haddad, que será oficializado candidato ainda neste sábado (30), esteve presente na convenção de um dos partidos que compõem sua aliança, o PCdoB, e fez duras críticas à gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD) na capital paulista. Os comunistas, entretanto, fazem parte da administração municipal, ocupando a Secretaria Especial da Copa do Mundo de 2014 (Secopa) desde 2011.

Convenção do PT: Mesmo ausente, Maluf é vaiado em evento que oficializou Haddad

Leia mais: Após crises com Marta, Erundina e Maluf, PT oficializa Haddad candidato

Leia também: Alexandre Schneider é confirmado como vice de Serra em SP

Haddad chamou Kassab de "prefeito de meio período", por supostamente ter dedicado mais tempo à criação do PSD do que à cidade, e reclamou da gestão municipal em várias áreas, da educação à coleta de lixo. 

"São Paulo não pode continuar com prefeito de meio mandato [em alusão ao ex-governador José Serra, do PSDB, que abandonou o mandato na Prefeitura em 2006 para concorrer ao governo do Estado] nem com prefeito de meio período", criticou o petista. "O prefeito gasta metade do tempo para cuidar da cidade e metade do tempo para suas intenções partidárias." 

Renato S.Cerqueira/Futura Press
Fernando Haddad, do PT, ao lado do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, do PCdoB, na convenção comunista em São Paulo: críticas a Kassab

Haddad também criticou a medida adotada pela Prefeitura de proibir a distribuição de sopas aos moradores de rua no centro de São Paulo. "A preocupação da Prefeitura é combater a caridade. Dar comida para morador de rua, hoje, virou crime", afirmou o petista. 

Segundo Haddad, Kassab tem se escondido da população paulistana. "O prefeito deveria estar inaugurando obras, mas está escondido. Até de helicóptero ele consegue chegar atrasado. Ele não anda de carro, anda de helicóptero." 

O presidente do Diretório Municipal do PCdoB, Vander Geraldo, disse que as críticas de Haddad à gestão da qual o partido participa não causaram nenhum constrangimento. "Algumas dessas políticas [que Haddad criticou] são as do Serra. O problema é com o Serra, não com o Kassab. Somos bem resolvidos com essa questão", disse. "Isso é política. O movimento feito pelo Kassab lá atrás foi interessante para nós." 

Após o evento do PCdoB, Haddad seguiu direto para a convenção municipal do PSB, outro aliado. Ele chegou por volta das 14h, uma hora após o fim da cerimônia, e fez um rápido pronunciamento. Um militante do PSB chegou a provocá-lo por causa do adiantado da hora e gritou: "E aí, prefeito, você via pagar o almoço?". 

Chamou a atenção, na convenção do PSB, a ausência da deputada federal Luiza Erundina, que desistiu de ser vice na chapa de Haddad após o anúncio do apoio do ex-prefeito Paulo Maluf (PP) ao candidato petista, mas que depois garantiu que vai ajudar na campanha do ex-ministro da Educação . Segundo a assessoria, Erundina não compareceu porque está com uma forte gripe. Nenhum representante do PP de Maluf esteve nas convenções do PCdoB e do PSB.  

    Leia tudo sobre: eleições2012eleições2012sãopauloPCdoBPSBPTfernando haddad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG