PT quer proibir PSB de usar imagem de Lula no Recife

Decisão é mais um passo noaprofundamento da crise entre os dois partidos; hoje, Campos veio a São Pauloencontrar o ex-presidente

Ricardo Galhardo - iG São Paulo | - Atualizada às

Ricardo Stuckert/Instituto Lula
O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, veio a São Paulo para encontro com Lula

O PT vai proibir o uso da imagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha do candidato do PSB à prefeitura do Recife, Geraldo Julio. A decisão é mais um passo no aprofundamento da crise entre PT e PSB. 

Leia mais: PSB lança candidato em Recife e aprofunda crise com o PT

Poder Online: Preocupado com a disputa no Recife, Campos encontra Lula

Fortaleza: Após 8 anos com PT, PSB oficializa candidato

“Na TV, vamos usar o Lula direto. De cabo a rabo. E não vamos permitir que o PSB use o Lula na campanha deles. Se usarem, vamos agir para tirar. O Eduardo (Campos, governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB ) fez uma opção e sabe disso. Ele não pode usar”, disse ao iG o secretário nacional de Organização do PT, Paulo Frateschi.

Recife: PT rejeita recurso de prefeito petista e confirma Humberto Costa

Campos se reuniu durante duas horas com Lula nesta quinta-feira em São Paulo. Segundo a assessoria do governador, o objetivo foi dizer que apesar da disputa no Recife as relações continuam boas em Brasília e no resto do País. Lula e Campos posaram sorridentes para uma foto que foi divulgada na página do Instituto Lula na internet.

Veja especial do iG sobre eleições

A imagem, no entanto, esconde o acirramento da crise entre os dois partidos. Segundo relatos, Campos veio a São Paulo pedir que Lula não participe da campanha do senador Humberto Costa (PT) à prefeitura do Recife e Lula teria sido evasivo.

O ex-presidente tem sido fortemente pressionado pelo PT a participar ativamente da campanha de Costa. Os dirigentes do partido argumentam que foi Lula quem concebeu a candidatura e agora não pode abandonar o candidato.

O governador justificou o lançamento da candidatura de Geraldo Julio dizendo que o PT perdeu as condições de disputa depois da briga interna que culminou com o afastamento dos pré-candidatos Maurício Rands e João da Costa e a indicação de Humberto Costa.

A direção do PT rebate dizendo que o responsável pela crise foi Eduardo Campos, que vetou o nome de João da Costa, tentou impor Rands (que é secretário estadual de governo) e obrigou o PT a impor Humberto Costa.

Além disso, os petistas acusam o governador de isolar o candidato do PT na Frente Popular (composta por 16 partidos) e até internamente. Rands, que foi apoiado por Humberto Costa nas prévias contra João da Costa, tem fugido do senador. O PT enxerga as digitais de Campos no sumiço de Rands.

A situação entre PT e PSB ficou ainda pior depois que o governador acenou em direção ao PMDB de Jarbas Vasconcelos (da ala oposicionista do partido) e ao PSDB para integrarem a coligação em torno de Geraldo Julio.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG