PSOL pede investigação de deputados por suposto esquema de venda de emendas

João Carlos Bacelar (PR-BA) e Marcos Medrado (PDT-BA) são acusados de envolvimento em esquema que beneficiariam suas bases eleitorais; Conselho de Ética analisará pedido

Valor Online |

Valor Online

O PSOL protocolou nesta quinta-feira (28) pedido de investigação dos deputados João Carlos Bacelar (PR-BA) e Marcos Medrado (PDT-BA), acusados de envolvimento em um esquema de compra e venda de emendas parlamentares na Câmara. As duas representações foram apresentadas à presidência da Casa e serão encaminhadas ao Conselho de Ética.

Leia mais: PSOL diz que relator do Código Florestal recebeu R$ 990 mil de ruralistas

Poder Online: Partido cria frente contra o voto secreto no Congresso

O partido opocisionista usou como argumento reportagem do jornal "O Globo", que fala sobre a existência de suposto esquema em que as emendas de outros deputados beneficiariam bases eleitorais de Bacelar, em troca de apoio econômico nas campanhas desses parlamentares.

A publicação também liga o deputado Geraldo Simões (PT-BA) às acusações de venda de emendas ao deputado do PR. O PSOL entrou com representação idêntica contra o petista na semana passada. A legenda afirma que as denúncias "ferem gravemente o decoro parlamentar" e devem ser investigadas em profundidade pelo Conselho de Ética da Câmara.

"As emendas individuais já são questionáveis por servirem ao sistema fisiológico e político do 'toma lá, dá cá'. Quando elas são utilizadas dessa maneira degenerada, tornam-se absolutamente indefensáveis. A Câmara tem que investigar isso", afirmou o líder do partido na Câmara, deputado Chico Alencar (RJ).

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG