'Dá para governar isolado?', questiona FHC sobre chapa puro sangue em SP

Ex-presidente proferiu palestra em Belo Horizonte e negou participação na campanha do ex-governador José Serra à Prefeitura da capital paulista

Denise Motta - iG Minas Gerais |

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou nesta quinta-feira (28) ter simpatia pelo nome de Andrea Mattarazzo para ser vice de José Serra, pré-candidato à prefeitura de São Paulo. Entretanto, FHC disse ser necessário avaliar a viabilidade prática da chapa puro sangue e indicou que não irá se envolver diretamente na decisão.

Leia mais: PR diz que reivindicação da vice na chapa não é ameaça, mas algo normal

Leia também: Cotado, Matarazzo despista sobre vice na chapa de Serra

"Eu não estou acompanhando, mas depende de como vai ser feito. Dá pra governar isolado? Não é só ganhar. Eu podia eventualmente ganhar sozinho, pelo (Plano) Real. Eu não fiz isso. Na democracia você não governa sem apoio", afirmou.

Ele também frisou que a decisão sobre a chapa está nas mãos do governador de São Paulo e do próprio Serra. "Eu não conheço a situação concreta da Câmara. Eu não sei o cálculo que o Serra e o Alckimin estão fazendo. Eu acho Andrea excelente pessoa, tem todas as virtudes. O problema é político. Vai ser possível ou não vai ser possível? Ganha mais o partido? Além do partido, ganha mais a cidade? Tem que saber. Política não se faz com ferro quente".

AE
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) elogiou o nome de Andrea Matarazzo, mas se mostrou reticente em relação à conveniência de uma chapa puro-sangue em São Paulo

O presidente de honra do PSDB também negou participação na campanha de Serra e lembrou que desde quando ocupava o cargo de presidente da República nunca participou de campanha eleitoral. "Desde que deixei a presidência, nunca participei de campanha nenhuma. Tampouco quando fui presidente (participei), eu dizia em quem ia votar. Mas eu não participava porque achava indevido."

FHC foi questionado também sobre o posicionamento do ex-presidente Lula (PT), de que está disposto a morder as canelas de adversários, mas esquivou-se de comentar: "Eu não sei morder canela. Eu não acho apropriado ao ser humano", disparou ele, que proferiu palestra em evento do setor de construção civil, na região oeste de Belo Horizonte.

Na palestra, FHC criticou a falta de investimentos em infraestrutura e em Educação e fez "mea culpa" ao afirmar que ele mesmo não fez os investimentos no setor. Ele apontou que o futuro é da sociedade do conhecimento e destacou a importância de ferramentas como Facebook e Twitter para movimentar a economia. "A internet o Twitter e o Facebook mudou o mundo", analisou ao destacar que o desafio do mundo é adaptar-se para desenvolver produtos baseados na "engenharia do cérebro".

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG