Ministério Público de São Paulo cria disque-denúncia eleitoral

Número será usado para receber informações sobre doações ilícitas, uso da máquina pública e caixa dois nas eleições de outubro

Agência Estado |

Agência Estado

O Ministério Público do Estado de São Paulo anunciou nesta segunda-feira a instalação de um disque-denúncia eleitoral, instrumento que será usado para receber informações sobre doações ilícitas, o uso da máquina pública e caixa dois, nas próximas eleições.

Veja cobertura especial do iG sobre eleições

Calendário eleitoral:  Confira as datas dos principais eventos das eleições 2012

Guia do eleitor:  tire dúvidas sobre as eleições municipais de outubro

O número do telefone para captação para denúncias ainda será divulgado e entrará em uso no próximo dia 2. Para o procurador regional eleitoral de São Palo, André de Carvalho Ramos, o pleito de 2012 mostra que não apenas o aperfeiçoamento da legislação eleitoral se faz necessário, mas também a fiscalização.

TCU: Mais de 6 mil políticos que ocupam cargo público estão inelegíveis

O procurador-geral de Justiça de São Paulo, Márcio Fernando Elias Rosa, disse que a Lei da Ficha Limpa tem um caráter prescritivo "para mudar a condição dos processos eleitorais".

Leia também: Candidatos que tiveram as contas rejeitadas em 2010 estão inelegíveis

Ao assinar Termo de Cooperação Técnica com o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral e o Pensamento Nacional das Bases Empresarias, Elias Rosa ressaltou que "a democracia pressupõe eleições livres de qualquer mau uso do poder econômico e do poder político, não convive com qualquer fator externo de supressão da livre vontade do eleitor".

"A Lei da Ficha Limpa não é uma mera descrição de um fenômeno desagradável e recorrente", declarou o procurador-geral.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG