Constrangido, PCdoB formaliza apoio ao prefeito de Belo Horizonte

Partido, que foi adversário em 2008, ganhou uma secretaria na gestão Lacerda, após sinalizar apoio no ano passado

Denise Motta - iG Minas Gerais |

O prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda (PSB) recebeu apoio formal do PCdoB em convenção realizada neste sábado (23). Com mais este partido, Lacerda coleciona aliança com aproximadamente 10 legendas e a expectativa é de que o número aumente ainda mais na próxima semana. O PCdoB foi adversário de Lacerda em 2008, mas decidiu apoiá-lo neste ano para que o PSB apoiasse candidatos em outros Estados, como a deputada federal Manuela D'Ávila, pré-candidata à prefeitura de Porto Alegre.

BH: Vice na chapa de Lacerda, petista defende Pimentel no governo em 2014

A convenção do PCdoB reuniu centenas de militantes, mas nem todos se sentiram totalmente confortáveis em apoiar Lacerda. Mas o motivo não foi o fato de o atual prefeito ter sido, em 2008, adversário da deputada federal Jô Moraes, principal liderança do PCdoB em Minas. A presença do PSDB na chapa  foi o motivo da insatisfação.

Denise Motta
Convenção do PCdoB foi na Assembleia Legislativa de Minas Gerais

Constrangimento foi o adjetivo utilizado por alguns dos militantes. Gilce Cosenza, ex-presidente do PCdoB de Belo Horizonte, diz não haver problemas em apoiar o antigo adversário de Jô Moraes. “O PCdoB se alia por um projeto nacional. Temos feito alianças nacionais. O fato de ter sido adversário não quer dizer que é inimigo.” Já sobre a participação do PSDB, disparou: “Por nós, não teria absolutamente nenhum apoio do PSDB. Agora, nós não temos forças para impedir este apoio.”

Muitos militantes do PCdoB são professores e isso coloca os militantes em rota de colisão com os tucanos, já que no ano passado o governador Antonio Anastasia (PSDB) enfrentou a maior greve na Secretaria de Estado de Educação, da história de Minas Gerais.

Militante na área de Educação, o professor e pré-candidato a vereador Gilson Reis, por exemplo destacou ser a perspectiva do PCdoB participar da elaboração do programa de governo. Esta tese foi um compromisso firmado por Lacerda em discurso neste sábado. Já sobre o PSDB, acredita que o apoio deles ao atual prefeito seja por falta de opção.

“O PSDB está com medo de lançar alguém, perder e com isso prejudicar o plano presidencial de Aécio Neves. Por isso ele apoia um nome com grandes chances de ganhar”, opina Reis.

A também pré-candidata a vereadora e professora Luiza Kfoury afirmou ser “realmente um constrangimento ter o PSDB na chapa”. Mas ela justificou que é necessário pela governabilidade. “A aliança é necessária, mas não podemos comprometer a ideologia do partido”, disse ela. E completou: “Ela (Jô Moraes) é uma referência muito forte e convence.”

Jô Moraes minimizou o desconforto de alguns, mas esquivou-se de responder se ela mesma estava ou não constrangida com a presença do PSDB na coligação majoritária. “Nós estamos apoiando um candidato do partido socialista brasileiro. Política não se faz com exclusões. Política se faz somando e reforçando. Cada eleição é uma eleição. Havia um momento político tensionado (em 2008). 2008 foi uma realidade e 2012 está sendo outra realidade”, afirmou a deputada.

O PCdoB sinalizou apoio ao prefeito no final do ano passado e ganhou uma secretaria no governo Lacerda . Zito Vieira, que disputou o Senado em 2010, ocupa a secretaria de Esportes e Juventude, tendo como adjunto um tucano, Roberto Tross. Lacerda e Jô Moraes foram questionados sobre como ficaria o espaço para o PCdoB na prefeitura, em caso de vitória nas eleições, mas alegaram não ser o momento para este assunto.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG