Justiça pede quebra de sigilos de ex-presidente do Banco do Nordeste

Jurandir Vieira Santiago renunciou, na última quarta-feira, à presidência da instituição após ser denunciado por envolvimento em desvio de verbas de um programa social do governo

Daniel Aderaldo - iG Ceará | - Atualizada às

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPF-CE) pediu nesta quinta-feira (21) a indisponibilidade dos bens e a quebra dos sigilos fiscal e bancário do ex-presidente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Jurandir Vieira Santiago. O economista renunciou, na última quarta (20), à presidência do banco após ser denunciado à Justiça do Ceará por envolvimento em desvio de verbas de um programa social quando atuava no governo do Estado.

Leia mais: Após denúncia de desvio de verba, presidente do BNB renuncia ao cargo

Quando era secretário-adjunto das Cidades do Ceará, no ano de 2009, Santiago assinou convênios no valor de R$ 3,1 milhões firmados com a prefeitura do município de Ipu, a 294 quilômetros de Fortaleza. Os recursos, oriundos do Fundo de Combate à Pobreza (Fecop), deveriam ser aplicados na construção de banheiros populares para famílias carentes da cidade. Contudo, os chamados “kits sanitários” não saíram do papel e o dinheiro sumiu.

Segundo o procurador-geral de Justiça do Ceará, Ricardo Machado, com a quebra do sigilo fiscal da prefeitura de Ipu, descobriu-se um depósito no valor de R$ 100 mil na conta de um posto de gasolina do qual Santiago era sócio. O depósito data de 29 de maio de 2009.

De acordo com Machado, a ação civil pública que pede a quebra dos sigilos fiscal e bancário se baseou nesse depósito e em um relatório elaborado pelo Tribunal de Contas do Estado do Ceará. “Esse relatório é minucioso e detectou várias irregularidades na confecção dos convênios e nos aditivos assinados por Santiago”, disse ao iG o procurador-geral.

As irregularidades já levaram a Justiça do Ceará a decretar a prisão preventiva do prefeito de Ipu, Sávio Pontes (PMDB). Ele passou uma semana foragido e se apresentou à Polícia nesta tarde.

O advogado de Jurandir Santiago, Hélio Leitão, entregou na manhã desta quinta o passaporte de seu cliente ao Ministério Público Estadual. Segundo Hélio Leitão, esta é a garantia que o ex-presidente do BNB não pretende viajar para o exterior enquanto as investigações do chamado "Escândalo dos Banheiros" continuarem.

Leitão entregou ao Ministério Público também a carta de exoneração de Jurandir do BNB e disse que seu cliente está reunindo provas de sua inocência no caso. O conselho de administração do banco nomeou interinamente como presidente do BNB o diretor de negócios Paulo Sérgio Rebouças Ferraro.

Com Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG