Quando estava no governo do Ceará, Jurandir Santiago teria assinado convênios para construção de banheiros populares que jamais saíram do papel. Substituto já foi anunciado

O presidente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), Jurandir Santiago, renunciou nesta quarta-feira (20). Ele deixou o cargo após ser denunciado pelo Ministério Público do Estado Ceará (MPE-CE) por envolvimento em desvio de verbas de um programa social quando atuava no governo do Ceará.

MP-CE: Presidente do BNB é denunciado por envolvimento em desvio de dinheiro

Leia mais: Governo do Ceará responsabiliza 2º escalão por desvios em banheiros

O BNB confirmou oficialmente a renúncia no início da noite e informou que o atual diretor de Negócios da instituição, Paulo Sérgio Rebouças Ferraro, irá assumir interinamente a presidência. O Conselho de Administração do banco fez ainda substituições em outras três diretorias.

A defesa de Santiago ponderou que embora “a denúncia não guarde qualquer relação com a atuação dele no BNB”, ele optou se afastar do cargo “para preservar a imagem do banco”. O advogado Hélio Leitão informou ainda que Santiago só se manifestará publicamente sobre o caso quando tiver conhecimento do teor exato da denúncia.

A denúncia apresentada pelo MPF-CE diz respeito à atuação de Santiago na Secretaria das Cidades do Ceará, no ano de 2009. Quando ocupava o cargo de secretário-adjunto da pasta, ele assinou convênios no valor de R$ 3,1 milhões firmados com a prefeitura do município de Ipu, a 294 quilômetros de Fortaleza, para a construção de banheiros populares para famílias carentes da cidade. Contudo, os chamados “kits sanitários” não saíram do papel e o dinheiro sumiu.

Segundo as conclusões do MPE-CE, Santiago foi “conivente” com os desvios dos recursos oriundos do Fundo de Combate à Pobreza (Fecop). As irregularidades já levaram a Justiça do Ceará a decretar a prisão preventiva do prefeito de Ipu, Sávio Pontes (PMDB). Ele está foragido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.