Às vésperas de sair do ar, Russomanno faz 'maratona' em programas da Record

Pré-candidato do PRB também tem quadro de sucesso em programa popular da emissora, que é  ligada à Universal e já teve em sua cúpula o hoje presidente do partido Marcos Pereira

Fábio Matos - iG São Paulo | - Atualizada às

Um pai gastou mais de R$ 10 mil para comprar móveis planejados para o quarto da filha, mas não receberam a compra e agora a menina não tem nem onde dormir. Como resolver esse problema? Basta convocar a “Patrulha do Consumidor, o cara que realmente resolve”, anuncia o apresentador. É a hora de Celso Russomanno, 55 anos, entrar em ação. Desta forma, o pré-candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo participou do programa “Balanço Geral SP”, da TV Record, no último dia 12 de junho. O quadro “Patrulha do Consumidor” é um dos maiores sucessos da atração comandada por Geraldo Luís, que já chegou a incomodar a Globo na briga pela audiência matinal. Há mais de duas décadas, essa é a rotina de Russomanno na televisão: levantar a bandeira da defesa do consumidor em todas as suas tribunas .

Leia mais: 'Bom de vídeo', Russomanno tenta provar que não é só fenômeno midiático

Leia as últimas notícias sobre as eleições municipais em todo o País

Além de estrelar a “Patrulha do Consumidor”, na Record, desde o final de 2011, o pré-candidato a prefeito pelo PRB comanda o programa “Jogo de Poder” e é colaborador do “Notícias & Mais”, na CNT, além de apresentar o “Programa Celso Russomanno” e fazer participações especiais no “A Tarde É Show”, da Rede Brasil. Russomanno começou a trajetória na TV com o “Circuito Night and Day”, na Gazeta, no fim dos anos 1980, mas ganhou notoriedade no “Aqui Agora”, do SBT, sucesso do jornalismo policial na década de 1990 e pioneiro do gênero.

Só na Record, durante este mês de junho, Russomanno participou ao vivo do “Hoje em Dia”, no dia 1º, também falando sobre os direitos do consumidor; do “Melhor do Brasil”, atração apresentada por Rodrigo Faro, no dia 2, para brincar em uma gincana com famosos; e do “Programa do Gugu”, no dia 10, numa entrevista em tom emocional em que começou falando da morte da esposa, em 1990, por falta de atendimento médico. Foi a partir desta tragédia pessoal que Russomanno passou a se envolver com questões relacionadas aos direitos dos consumidores. Os três programas estão entre as maiores audiências e os grandes faturamentos da Record. O Ibope não divulga os índices, mas dados não oficiais indicam que o “Melhor do Brasil” e o “Programa do Gugu” tiveram 11 pontos de média nos dias em que Russomanno esteve no ar, enquanto o “Hoje em Dia” teria ficado com 5. Cada ponto de audiência equivale a 60 mil domicílios na Grande São Paulo.

Além disso, o pré-candidato do PRB ainda participou, em 28 de maio, da série de sabatinas promovida pela Record News com os postulantes à Prefeitura de São Paulo - o único que não aceitou o convite foi o ex-governador José Serra (PSDB). Mas também esteve em outras emissoras: no SBT, foi sabatinado no dia 21 de maio para falar sobre eleições e entrevistado pelo "Programa do Ratinho" em 5 de junho, quando defendeu a volta das sacolinhas plásticas aos supermercados; na Band, participou de entrevista no “Band Eleições 2012”, na condição de pré-candidato a prefeito, no dia 22 de abril.

Alex Vieira/Futura Press
Acostumado aos microfones e 'bom de mídia' nas palavras do presidente do PRB, Marcos Pereira, Celso Russomanno (foto) se divide entre TV e pré-candidatura

O PRB de Russomanno, legenda oriunda do antigo PL e criada em 2005 pelo ex-vice-presidente José Alencar, é ligado à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), fundada em 1977 pelo bispo Edir Macedo, que hoje é dono da Record. O presidente nacional do partido, Marcos Pereira, é membro da IURD e trabalhou na Record entre 1994 e 2010, tendo ocupado o cargo de vice-presidente executivo da emissora por sete anos e passado pela gerência administrativa financeira e pela diretoria executiva da gravadora Line Records. Ele nega que o pré-candidato tenha sido beneficiado pelas relações entre partido, igreja e emissora.

“O Celso já tinha negociado com a Record antes de ir para o PRB. Ele só entrou no ar em dezembro e se filiou ao PRB em 26 de setembro (de 2011). Se fosse algo casado, algo combinado, ele entrava no ar logo depois da filiação. Não tem nada disso. E o quadro dele é um sucesso absoluto. Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Eu não influenciei de modo algum”, diz Pereira. “O José Alencar era católico roxo. O Celso é católico e teve o filho batizado pelo padre Marcelo Rossi. Dizer que o partido é da igreja é um erro.” Russomanno faz coro ao chefe do partido: “Creio que uns 80% dos membros do PRB são de todos os outros segmentos religiosos: cristãos católicos, evangélicos, protestantes... Não existe isso de imposição da religião A, B ou C”, afirma. “Minha relação com o Marcos Pereira é de uma amizade muito antiga, desde o meu primeiro contrato com a Record. Eu tive três passagens pela Record, três contratos diferentes com eles. É uma relação antiga.”

Ninho petista: 'Ela poderá ajudar', diz Marta sobre Erundina na vice de Haddad

Ninho tucano: Aliança para 2014 pesou na decisão do PR de apoiar Serra em SP

Leia também: Eymael será candidato à Prefeitura de São Paulo

O que diz a lei

A legislação eleitoral ampara Russomanno e o PRB. Não existe qualquer impedimento para que os pré-candidatos participem ou mesmo apresentem algum programa na televisão – desde que não peçam votos – até o dia 30 de junho, prazo final para os partidos realizarem suas convenções. O período para que essas reuniões partidárias aconteçam começou no dia 10 de junho. Quem for escolhido candidato antes do dia 30, está automaticamente impedido de ter programa na TV desde o momento da oficialização da candidatura. “A partir do resultado da convenção, é vedado [...] às emissoras transmitir programa apresentado ou comentado por candidato escolhido em convenção”, diz o inciso 1º do Artigo 545 da Lei nº 9.504/1997. A convenção do PRB, que inicialmente estava agendada para o dia 23 de junho, foi adiada para o dia 30. Russomanno, que ficaria no ar até dia 22, agora deixará suas atrações na TV somente no dia 29.

“O Celso também foi a outros programas de outras emissoras. Algumas vezes ele falou como pré-candidato, em entrevistas, por exemplo. Em outras, apareceu como funcionário e apresentador da própria emissora. É comum a emissora levar o seu cast para os programas, é normal. Ele nunca pediu voto nem se apresentou como pré-candidato nessas ocasiões. Estamos tranquilos”, diz Pereira. Russomanno também rechaça qualquer uso político da televisão em suas aparições nos programas da Record, da CNT e da Rede Brasil, e garante cumprir o que diz a lei. “Eu estou dando audiência. O programa da manhã chega a primeiro lugar de audiência em vários momentos. Se eu sou chamado para ir nos outros programas, é porque minha audiência é alta. Se eu não tivesse audiência, ninguém me convidaria. E eu não estou falando de política em nenhum programa”, justifica.

Para Rogério Schmitt, cientista político da consultoria Eyes on Future, a legislação é rigorosa e os partidos devem ter cuidado. “Não vejo problema no fato de os pré-candidatos disputarem espaço em programa de TV. A questão é que, antes das convenções, ninguém é candidato ainda. O problema é quando o pré-candidato vai à TV e pede votos. Isso a legislação não permite, é a única restrição. Tem aí um fio da navalha em que as pré-candidaturas têm que se equilibrar. Quando há explicitamente uma atitude de pedir votos, os outros partidos vão acionar a Justiça Eleitoral e o feitiço acaba virando contra o feiticeiro”, avalia. 

Por meio de nota, a TV Record diz que "Celso Russomanno presta serviços como repórter no quadro 'Patrulha do Consumidor', que ele comanda há 20 anos na televisão brasileira com muito sucesso". A emissora destaca que "o prazo limite para a exibição desse quadro e de eventuais participações em programas foi definido pela Legislação Eleitoral" e que a Record "segue criteriosamente essa determinação". O texto ainda diz que "Celso Russomanno foi sabatinado na Record News e no R7 em tempo exatamente igual ao tempo dos outros pré-candidatos a Prefeito de São Paulo" e que "todos, sem exceção, foram e serão convidados pela Rede Record para participarem de nossas sabatinas e debates". 

Epitácio Pessoa/AE
O pré-candidato do PRB à prefeitura de São Paulo atua em três emissoras de televisão: defesa dos direitos do consumidor é seu lema há mais de duas décadas


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG