Deputada do PSB ficou quatro dias na vaga de vice de Haddad e desistiu depois da aliança do PT com Maluf

A deputada federal Luiz Erundina (PSB-SP), ex-prefeita de São Paulo e ex-petista, desistiu de ser vice de Fernando Haddad , pré-candidato do PT à prefeitura da capital paulista, quatro dias depois do evento que oficializou a dobradinha dos dois partidos com direito a lágrimas de petistas presentes. Era o PT de volta às origens na sexta, mas já disposto a riscar 25 anos de história contra o malufismo três dias depois.

Leia também: Erundina desiste de ser vice de Haddad

Alianças: Veja a passagem silenciosa de Lula pela casa de Maluf

De inimigo a aliado: Veja vídeos das brigas históricas de Maluf com o PT

Maluf e PT: Ao lado de Lula, adversário histórico do PT anuncia apoio a Haddad

Erundina desiste de ser vice de Haddad após aliança de PT com Maluf
Agência Brasil
Erundina desiste de ser vice de Haddad após aliança de PT com Maluf

Erundina se dizia “constrangida” pelo apoio do deputado e ex-prefeito Paulo Maluf (PP-SP) a Haddad desde o fim de semana e deu declarações contraditórias à imprensa sobre a aliança do PT com seu adversário histórico: “não será confortável”, “é desconfortável”, “não vou aceitar [aliança com Maluf]”, “não vou recuar [da candidatura de vice]”. A foto de Lula com Maluf teria sido o estopim para a ex-prefeita de São Paulo : “Isso já é demais”. Ela também teria ficado chateada porque, ao contrário de Maluf, o ex-presidente não foi ao ato que selou a sua participação na chapa petista.

Poder Online: Erundina entrou na reunião decidida, diz Eduardo Campos

Leia também: Foto de Maluf com Lula foi o estopim para Erundina

Veja as idas e vindas de Erundina:

Sexta-feira, 15 de junho: Ato oficializa a escolha do nome de Erundina como candidata a vice de Haddad. O petista chorou, a mulher dele chorou, Erundina estava com os olhos marejados , muita gente na plateia também chorou. Minutos depois, no entanto, candidato e vice tiveram de encarar a possível presença de Paulo Maluf (PP), a antítese política de Erundina, no palanque petista, que seria oficializada na segunda-feira.

Questionada por jornalistas, ela tentou se esquivar, disse que a escolha do arco de alianças não cabe ao vice, lembrou que derrotou Maluf na eleição para a prefeitura em 1988 e, por fim, afirmou que as alianças dependem do comprometimento dos partidos com o projeto político. “Queremos aliados e apoios desde que conheçam o nosso projeto e se comprometam com nosso projeto”.

Domingo, 17 de junho: Dois dias depois, na véspera de o PP anunciar apoio a Haddad, Erundina se disse constrangida de dividir palanque com Malu f. "Para mim não será confortável estar no mesmo palanque com o Maluf", disse a ex-prefeita. "A campanha não sou eu nem Maluf individualmente. É um processo muito mais amplo e complexo, e isso se dilui, ao meu ver. (Mas) Claro que é desconfortável."

Ela disse ter sido surpreendida pelo apoio de Maluf, a ser anunciado amanhã, e que, se tivesse sido consultada, "faria ponderações" e "provavelmente teria dificuldade de aceitar essa decisão". "Foi uma decisão dos partidos, que não passou nem passaria por mim. As responsabilidades de alianças são da direção nacional", explicou. 

Segunda-feira, 18 de junho, de manhã: Erundina descartou a possibilidade de deixar a chapa com Haddad, apesar da aliança firmada entre PT e Maluf . "Eu não sou de recuar. Vou manter a decisão, que é uma decisão partidária. Vou me empenhar e vou fazer o melhor que eu puder para dar a minha contribuição", disse Erundina em entrevista à rádio Brasil Atual.

Mas falou sobre o embaraço com a presença de Maluf: "É constrangedor. E o pior é que essa notícia, ela veio sem que se esperasse, pelo menos eu, não sei se meu partido tinha conhecimento dessa possibilidade. Foi realmente um balde de água fria." Confirmando que ficaria na chapa, disse ainda: "De um lado estará o seu Maluf, de outro estarão eu e setores da sociedade que não concordam com essa aliança".

Por exigência de Maluf, Lula vai a evento que oficializou o apoio do ex-prefeito a Haddad
Agência Estado
Por exigência de Maluf, Lula vai a evento que oficializou o apoio do ex-prefeito a Haddad

Segunda-feira, 18 de junho, à tarde:  Erundina afirma em entrevista ao site de Veja que vai rever a decisão de ser vice de Haddad. “Se for por nomes, meu partido tem outros a indicar. Eu pessoalmente não vou aceitar. Vou rever minha posição”, afirmou. E reclamou que a aliança com Maluf foi feita à sua revelia. O estopim teria sido a foto de Lula com Maluf na casa deste último : “Isso já é demais”, teria dito. Erundina teria ficado chateada também porque o ex-presidente não foi ao ato que oficializou sua entrada na campanha de Haddad.

Terça-feira, 19 de junho, à tarde: Erundina desistiu de ser vice de Haddad e comunicou a decisão em reunião com o presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e com o vice-presidente nacional da sigla, Roberto Amaral.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.