Relator de processo sobre Demóstenes diz que STF interfere no Congresso

Para o senador Humberto Costa (PT-PE), decisão tomada pelo Supremo de adiar a votação do relatório no Conselho de Ética 'é uma interferência no funcionamento' da Casa

iG São Paulo |

“Discordo frontalmente da decisão tomada pelo Tribunal. É uma interferência no funcionamento do Congresso." Com essas palavras, o relator do processo contra o senador Demóstenes Torres no Conselho de Ética, senador Humberto Costa (PT-PE), reagiu à liminar que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) José Antonio Dias Toffoli concedeu ao acusado , protelando a decisão que seria tomada nesta segunda-feira (18). 

Leia mais: Ministro do STF adia votação do Conselho de Ética sobre Demóstenes

Depois de reunir-se com o presidente do Conselho, senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), e com a secretária-geral do Senado, Claudia Lyra, Humberto Costa afirmou que tudo será feito para que a decisão sobre esse processo seja definitivamente tomada antes do início do recesso parlamentar, em 19 de julho.

"A defesa atua para protelar esse processo, mas nós vamos continuar perseguindo a meta de votá-lo antes do recesso. A nossa dificuldade de votar esta semana é que boa parte dos parlamentares está na Rio+20. Para garantir quórum, nós votaremos na terça-feira (26). Mas vamos votar", afirmou Costa. 

"Essa proteção não interfere em nada em nosso julgamento, que é político. Estamos usando (nesse relatório) os diálogos (interceptados pela polícia) que o próprio senador Demóstenes Torres reconheceu como autênticos", completou o relator. 

Com Agência Senado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG