Minas gasta R$ 4,5 milhões em campanha por revisão de royalties de minério

No lançamento, que aconteceu no Palácio da Liberdade, antiga sede do governo mineiro, estiveram presentes o governador Antonio Anastasia e o senador Aécio Neves

Denise Motta - iG Minas Gerais | - Atualizada às

O Governo de Minas Gerais lançou nesta segunda-feira (18) uma campanha para defender uma revisão dos royalties do minério. Chamada “Minério com mais Justiça”, a campanha irá custar R$ 4,5 milhões de recursos da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig), uma empresa pública que investe em infraestrutura.

A assessoria de imprensa do governo informou que o recurso milionário será empregado para veicular peças publicitárias em diversos meios de comunicação, durante dois meses. Comerciais de 30 segundos serão exibidos em redes de televisão em Minas Gerais. As peças publicitárias também irão ser veiculadas em emissoras de TV a cabo.

Omar Freire/Imprensa MG
Anastasia e Aécio participaram do lançamento oficial de campanha em prol de mudanças na legislação sobre a exploração dos recursos minerais

Foram criados site e perfis em redes sociais como Facebook e Twitter e a a expectativa é de esclarecer e conscientizar a população para o percentual de repasse das mineradoras para o poder público pela exploração do minério.

No lançamento da campanha, ocorrido nesta segunda-feira no Palácio da Liberdade, antiga sede do governo mineiro, estiveram presentes o governador Antonio Anastasia (PSDB) e o senador Aécio Neves (PSDB), além de representantes de entidades apoiadoras como a Ordem dos Advogados do Brasil, seção Minas Gerais (OAB-MG).

Presentes na solenidade de lançamento da campanha posaram para fotos com camisetas e com os braços cruzados, em sinal de protesto pelo atual sistema de distribuição dos royalties. Entre personalidades que participam de vídeo institucional estão o cirurgião plástico Ivo Pitanguy e a artista plástica Yara Tupynambá.

“Enquanto em relação ao petróleo, o que é cobrado chega até a alcançar até 10%, em média cinco, mas chega a alcançar em determinados momentos até 10% do resultado bruto, quando se vem para o minério, não chega a 3% em média do resultado líquido”, afirmou Aécio, emendando que pretende colocar em votação, ainda neste mês, projeto de lei sobre o royaltie mineral na Comissão de Infraestrutura do Senado. Com a proposta de Aécio, Minas (Estado mais municípios) passaria a receber, este ano, cerca de R$ 1 bilhão em royalties, e não os R$ 275 milhões previstos para 2012.

    Leia tudo sobre: minas geraisantonio anastasiaaécio nevesroyaltiesminériocodemig

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG