ACM Neto lança candidatura com discurso contraditório sobre Wagner e Dilma

Candidato do DEM à prefeitura disse que tem boa relação com o Estado e o governo federal, mas que não vai viver de favor 'de quem quer que seja'

João Paulo Gondim - iG Salvador | - Atualizada às

Em uma tumultuada convenção, o DEM oficializou, na tarde desta segunda-feira, o nome do deputado federal ACM Neto para a eleição municipal deste ano. Também fazem parte da coligação os seguintes partidos: PSDB, PPS e PV, que indicou a professora Célia Sacramento como vice.

Leia mais: Entrada do PMDB no páreo embaralha disputa pela Prefeitura de Salvador

Logo após ACM Neto citar o antigo provérbio "não existe vento bom para marinheiro que não sabe onde quer ir", conjecturando que o candidato petista à prefeitura, Nélson Pelegrino, não saberia o que fazer com as verbas federais e estaduais  - ambas as máquinas são do PT - que Salvador recebe, ele afirmou que vai ter boa relação com o governador Jaques Wagner e com a presidenta Dilma Rousseff .

"Eu conheço Brasília como a palma da minha mão e vou pegar quantos aviões forem necessários para falar com a presidente. Tenho certeza de que ela vai apoiar um prefeito competente, realizador, com bons projetos e boa equipe", disse ACM Neto.

Após o ato, ele acrescentou. "Eu garanto que não farei política na prefeitura. Eu vou governar Salvador. Eu vou buscar o governador, eu vou buscar a presidente da República com bons projetos. O prefeito vai chamar para si a responsabilidade do que é do município, porém tendo capacidade de articular uma integração com os governos estadual e federal."

Momentos antes, ele havia dito que "a terceira maior cidade do Brasil não vai viver de favor de quem quer que seja" e questionou: "de que adianta ter prefeito do mesmo partido [dos executivos estadual e federal] que não saiba governar?".

Raul Spinass/Agência A Tarde/AE
DEM oficializa a candidatura do deputado federal ACM Neto (DEM-BA) a prefeito de Salvador

A ausência do deputado federal Antônio Imbassahy foi sentida. Ex-prefeito de Salvador (1997-2004) quando estava no PFL, ele teve a sua pré-candidatura retirada por seu atual partido, PSDB, em troca de aliança com o DEM, seguindo estratégia traçada em São Paulo. Além disso, DEM e PSDB afirmaram querer evitar o que consideram "o erro político de 2008", quando ACM Neto e Imbassahy dividiram votos do eleitorado de direita e sequer conseguiram ir para o segundo turno, que deu a reeleição ao atual prefeito da capital, João Henrique Carneiro (PP).

Imbassahy não fez nenhum gesto de apoio a ACM Neto, o que é minimizado pelo demista. "Na hora certa, Imbassahy vai entrar na nossa campanha", garante o candidato.

A convenção reuniu cerca de mil pessoas. Muitas delas eram menores de idade e sequer conheciam os candidatos de quem empunhavam cartazes e faixas. "Vim aqui porque prometeram nos dar um lanche. Comi um pãozinho e bebi refrigerante. Na verdade, não conheço muito bem os candidatos, não", disse o estudante Isaias Dantas, 14. Ao lado de seu irmão, carregava uma faixa escrita que ACM Neto será o melhor prefeito do Brasil.

Uma garota de 15 anos, logo, que também não pode votar, afirmou nunca ter ouvido em Léo Prates, o nome que estava na bandeira que ela ostentava. Membro da Juventude do DEM, Prates disputa uma vaga na Camara dos Vereadores.

Quando ACM Neto chegou ao evento, houve tumulto e empurra-empurra. Candidatos a vereador pela coligação foram impedidos de subir no palaque, disseram seus assessores. "Trabalho para a candidata Professora Maria do Carmo, do DEM. Ela tentou ir para o palanque, mas foi impedida pela organização, que chegou a empurrá-la. Disseram que a lotação já estava esgotada. Eles nos falaram isso, mas vimos pelo menos outras dez pessoas chegarem depois da gente e subirem ali, sem problema. Outros candidatos também foram empurrados", queixou-se Juliana Reis.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG