CPI vota na quinta quebra de sigilos de Perillo e Agnelo

Governador do DF se antecipou e disse hoje à CPI que libera suas informações bancária, fiscal e telefônica; em seguida, Perillo pediu para avisar à CPI que aceita a quebra

iG São Paulo |

aA pressão para que seja aprovado na CPI do Cachoeira requerimento pedindo a quebra de sigilos bancário, fiscal e telefônico do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), aumentou depois que o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), se dispôs nesta quarta-feira a repassar voluntariamente essas informação à comissão. Na quinta-feira, a CPI mista terá uma sessão administrativa e esse requerimento será votado, pedindo a quebra de sigilo dos dois governadores nos últimos cinco anos.

CPI do Cachoeira: Agnelo nega ter favorecido a Delta e se diz perseguido 

Governador de Goiás: Perillo depõe por oito horas à CPI e nega relação com Cachoeira

Agência Brasil
O governador do DF, Agnelo Queiroz, depõe à CPI do Cachoeira


Segundo o líder do PSDB na Câmara, Bruno Araújo (PE), Perillo é favorável à quebra de seus sigilos. A informação foi apresentada durante o depoimento de Agnelo. Na última terça-feira, quando estava na CPI, Perillo negou a sugestão do relator da comissão, deputado Odair Cunha (PT-MG), para abrir o seu sigilo.

Poder Online:  Deputados discutem durante sessão da CPI do Cachoeira

Araújo disse que tinha acabado de receber um telefonema de Perillo, na qual o governador goiano informou a disposição de abrir o seus sigilos e pediu que essa decisão fosse comunicada à CPI. O presidente interino da comissão, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), disse, no entanto, que a decisão sobre a quebra de sigilo de Perillo só poderá ser efetuada nesta quinta-feira, na sessão administrativa da CPI, na qual serão votados requerimentos.

Triangulação: Delta alimentou conta bancária que pagou casa de Perillo

Poder Online: Veja a cópia de um dos cheques que Perillo alega ter recebido pela casa

O PSDB pressiona para que Agnelo formalize a intenção anunciada no depoimento desta quarta e, com isso, tentaria adiar a votação do requerimento na quinta, argumentando que o gesto de Agnelo teria sido pessoal e a CPI não precisaria forçar a quebra de Perillo.

O PT, por sua vez, quer justamente o oposto: que Agnelo não formalize o compartilhamento do sigilo nesta quarta, deixando para a sessão administrativa da quinta a quebra de sigilos dos dois governadores.

Agência Senado
Marconi Perillo depõe por oito horas na CPI e nega elo com Cachoeira

Com Reuters e Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG