João da Costa contesta imposição da candidatura do senador Humberto Costa à prefeitura da capital

A cúpula petista decidiu hoje convocar uma reunião extraordinária do diretório nacional do partido para julgar o recurso feito pelo prefeito do Recife, João da Costa, contra a decisão da comissão executiva nacional que definiu o nome do senador Humberto Costa como candidato do PT à prefeitura da cidade.

Recife:  Prefeito contesta intervenção do PT nas eleições

Leia mais:  Imposto pelo PT, Humberto Costa quer se reconciliar com prefeito de Recife

De acordo com o estatuto, a direção nacional não teria obrigação de convocar o diretório agora, mas decidiu antecipar a reunião para tirar a munição do prefeito, que tem usado o recurso como instrumento para fustigar a candidatura de Humberto Costa.

No recurso, o prefeito alega que a intervenção nacional fere as normas partidárias já que a executiva teria poderes para interferir apenas na política de alianças e não na escolha dos candidatos. João da Costa venceu com 52% as prévias contra o secretário estadual de governo, Maurício Rands. A disputa foi anulada por suspeitas de irregularidades, Rands retirou a candidatura e o PT nacional impôs o nome do senador.

Leia também:  Humberto Costa é o candidato do PT à Prefeitura de Recife

A avaliação da direção petista é que o recurso não passa de mais um factoide criado pelo prefeito para desgastar Humberto Costa e que seu pedido será rejeitado por ampla maioria. No entanto, é cada vez maior o número de dirigentes que nos bastidores critica a mão pesada da direção nacional no Recife.

Na reunião da executiva que decidiu pela anulação das prévias três integrantes votaram contra a proposta da cúpula. Uma semana depois, cinco integrantes da executiva se abstiveram de votar a favor de Humberto Costa.

A data da nova reunião ainda não foi marcada. O encontro deve acontecer em Brasília para evitar reclamações de dirigentes que não podem vir a São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.