Em nota, BNDES nega ter repassado dinheiro diretamente à Delta

Reportagem do jornal 'O Estado de S.Paulo' sustenta ter havido repasse de R$ 139 milhões, entre 2010 e 2012, para a empreiteira investigada pela CPI do Cachoeira

Agência Brasil |

Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), divulgou nota, na noite da última sexta-feira, negando que tenha feito empréstimos diretamente à empresa Delta Construções. O banco rebateu informações de reportagem publicada pelo jornal "O Estado de S. Paulo" que sustenta ter havido repasse de R$ 139 milhões, entre 2010 e 2012, do BNDES para a empreiteira investigada pela CPI do Cachoeira no Congresso Nacional. 

Saiba tudo: Veja as últimas notícias sobre a CPI do Cachoeira

O dinheiro, segundo o jornal, seria a metade do total emprestado à empresa, no valor de R$ 249,7 milhões. A Delta é suspeita de ter ligações com Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, alvo da CPI. Mas, segundo o BNDES, os empréstimos foram feitos por outros agentes financeiros.

Na nota, o banco argumentou que as operações mencionadas na reportagem resultaram “de cerca de 700 financiamentos contratados no Produto BNDES Finame (comercialização de máquinas e equipamentos), operacionalizado na modalidade indireta automática, por meio de agentes financeiros (bancos comerciais), repassadores de recursos do BNDES aos mutuários.”

Segundo o BNDES, os agentes financeiros assumem integralmente o risco das operações, “sendo os responsáveis por efetuarem a análise cadastral e financeira dos mutuários, decidindo pela concessão ou não dos recursos.”

Em caso de falta de pagamento do tomador de empréstimo, o BNDES garantiu que os recursos públicos não sofreriam qualquer prejuízo, já que o agente financeiro continuaria obrigado a reembolsar os valores repassados.

O banco esclareceu ainda que suspendeu as operações com a empresa. “A partir do surgimento das denúncias contra a Construtora Delta, este banco, imediatamente, suspendeu a análise de qualquer operação relacionada à referida empresa, tendo recomendado a todos os seus agentes financeiros que fosse adotado o mesmo procedimento.”

    Leia tudo sobre: cpi do cachoeiracarlinhos cachoeiradeltaBNDES

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG