Ex-deputada Eurides Brito foi condenada por improbidade administrativa e terá de devolver R$ 3,5 milhões aos cofres públicos; escândalo atingiu ex-governador do DF em 2009

Estadão Conteúdo

Na primeira condenação do mensalão do DEM, a Justiça de Brasília puniu na última quinta-feira a ex-deputada Eurides Brito por improbidade administrativa e determinou que ela devolva cerca de R$ 3,5 milhões aos cofres públicos.

Leia mais: Pivô do mensalão do DEM perde aposentadoria especial

Leia todas as notícias sobre o mensalão do DEM

A ex-deputada foi denunciada na esteira da operação Caixa de Pandora, em que a Polícia Federal investigou o suposto pagamento de propina à base aliada do então governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, escândalo conhecido como "mensalão do DEM". A decisão foi tomada pelo juiz Álvaro Ciarlini, da 2ª Vara de Fazenda Pública do DF.

O valor da condenação corresponde à soma de 31 parcelas da mesada de R$ 20 mil, no valor de R$ 620 mil, que ela, segundo a Justiça, recebeu em troca de apoio a Arruda na Câmara Legislativa do DF, de 2006 a 2009.

O juiz aplicou ainda multas de R$ 2,86 milhões. Eurides também teve suspensos seus direitos políticos por dez anos. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.