Líder tucano no Senado quer Pagot na CPI: 'É uma testemunha importante'

Senador Alvaro Dias (PSDB-PR) afirmou que os requerimentos de convocação do ex-diretor do Dnit já foram entregues: 'É preciso que ele venha e fale alguma coisa'

iG São Paulo |

O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), defendeu a convocação do ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as relações entre o grupo do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e autoridades, políticos e empresários.

Leia mais: Após denúncias, Serra diz que PSDB vai entrar na Justiça contra Pagot

Leia também: 'Quem faz caixa 2 é o PT', regem tucanos em nota

"O Pagot é uma testemunha importante. As últimas declarações reforçam a necessidade de ele comparecer como testemunha e ser questionado sobre todos e fatos e as revelações feitas por ele. É preciso que ele venha e fale alguma coisa", afirmou o senador. Em entrevista publicada na edição desta semana da revista "Istoé", Pagot fez acusações contra petistas e tucanos por suposto uso do aparelho governamental para arrecadação de campanhas eleitorais em 2010 por meio de caixa 2 .

Alan Sampaio / iG Brasília
Para o senador Alvaro Dias (PSDB-PR), Luiz Antonio Pagot deve prestar esclarecimentos à CPI: ex-chefe do Dnit acusou petistas e tucanos

O ex-diretor do Dnit disse que o PSDB desviou recursos da obra do Rodoanel, em São Paulo, para a campanha presidencial de José Serra. O PT, segundo ele, buscou doações junto a empreiteiras por intermédio de Pagot, a pedido do ex-tesoureiro de campanha do partido, José de Filippi. Os dois partidos negam as acusações. Segundo Alvaro Dias, requerimentos de convocação de Pagot na CPI já foram entregues.

O senador tucano afirmou também que, caso a comissão aprove pedido de quebra de sigilos do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), outros governadores citados ou envolvidos nas denúncias também deveriam ter os sigilos quebrados. "Que se quebrem os sigilos dos outros que também estão sob suspeição. Não há que se diferenciar", disse.

Sobre a necessidade de convocação de testemunhas ligadas ao governador de Goiás, Dias disse que quem quer ir à CPI é o próprio Perillo. "Ele quer vir faz tempo. Tem que se ouvir o governador", afirmou.

Com Valor Online

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG