Marta Suplicy diz que atitude de Gilmar Mendes é incompreensível

Senadora comentou sobre a polêmica de uma suposta pressão do ex-presidente para adiar o julgamento do mensalão no STF

Valor Online |

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) questionou nesta quinta-feira a postura do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF) na polêmica com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva .

"É incompreensível a atitude do ministro Gilmar", disse ela em referência à entrevista dada por Mendes à revista Veja , na qual diz ter se sentido pressionado pelo ex-presidente Lula em reunião no escritório do ex-ministro da Defesa e da Justiça e ex-presidente do STF, Nelson Jobim.

Revista: Lula teria procurado ministro do STF para adiar julgamento do mensalão

AE
Marta Suplicy conversa com ex-presidente Lula em evento na Câmara dos Vereadores (21/5)

"Se ocorreu ou não, existem versões. E, mesmo que tivesse ocorrido (o encontro), a reação foi muito além de qualquer coisa", afirmou a senadora. "Acho que ficou um ponto de interrogação mais para o lado do ministro que para o presidente Lula", acrescentou.

Em entrevista à revista Veja , Gilmar Mendes afirma que Lula teria oferecido blindagem na CPI que investiga a atuação de Carlinhos Cachoeira . Em troca, segundo Mendes, Lula teria pedido o adiamento do julgamento do mensalão no Supremo.

'Estamos lidando com gângsteres', diz Gilmar Mendes sobre acusações

Em nota, Lula confirmou o encontro com o ministro Gilmar Mendes, mas negou ter tentado interferir na Corte. “A reunião existiu, mas a versão da Veja sobre o teor da conversa é inverídica. ‘Meu sentimento é de indignação’”, disse.

Mulheres no governo

Ainda nesta quinta-feira, Marta elogiou o que chamou de esforço da presidenta Dilma Rousseff na promoção das mulheres no governo federal. "Por que eu sou vice-presidente do Senado? Por que a Graça Foster é presidente da Petrobras? Onde ela tem a oportunidade de usar a caneta, ela usa", afirmou em referência à presidenta. Segundo a senadora do PT, o atual governo tenta corrigir as desigualdades de gênero nos cargos de governo. "Nós tínhamos um enorme retrocesso (na participação de mulheres no governo), hoje somos nove ministras", lembrou. 

Com Valor Online

    Leia tudo sobre: lulamarta suplicygilmar mendesmensalãocachoeira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG