Dilma nega risco de crise institucional na briga entre Lula e Mendes

Presidenta divulgou nota na manhã desta quarta-feira contestando informação de que teria tratado do assunto com Ayres Britto

iG São Paulo |

A presidenta Dilma Rousseff contestou em nota divulgada na manhã desta quarta-feira que vê crise institucional na briga entre o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva . Dilma também nega ter tratado do assunto em encontro com o presidente do STF, Ayres Britto, na última terça-feira. “A audiência de ontem da presidenta Dilma Rousseff com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ayres Britto, tratou do convite ao presidente do STF para participar da Rio+20 e de assuntos administrativos dos dois Poderes”, diz a nota da assessoria da Presidência. O encontro durou uma hora e dez minutos, no Planalto.

Resposta: Lula confirma encontro com Mendes, mas nega interferência no STF

Revista: Lula teria procurado ministro do STF para adiar mensalão

Em reportagem publicada nesta quarta-feira, o jornal o Estado de S. Paulo afirmou que Dilma avaliava a situação como perigosa, com potencial de estrago e que beira a crise institucional nas relações entre Executivo e Judiciário. “A Presidência da República informa que são no todo falsas as informações contidas na reportagem que, em uma de suas edições, apareceu com o título ‘Para Dilma, há risco de crise institucional’".

Gilmar Mendes: 'Estamos lidando com gângsteres', diz ministro do STF

A briga de versões entre Mendes e Lula começou após o primeiro, em reportagem da revista Veja desta semana, dizer que foi pressionado pelo ex-presidente para adiar o julgamento do mensalão. E, para tanto, Lula teria oferecido ao ministro do STF blindagem na CPI do Cachoeira por conta de uma viagem a Berlim que ele teria feito com o senador Demóstenes Torres (GO-sem partido), acusado de colocar o mandato a serviço do bicheiro. Mendes e Demóstenes negam qualquer irregularidade na viagem.

Para piorar o caso, Mendes ontem partiu para mais um ataque contra Lula . Disse que o ex-presidente opera como uma “central de informações” responsável por repassar boatos de gângsteres que plantam informações para desestabilizar a imagem do Supremo e conturbar o julgamento do mensalão.

Em nota, Lula confirmou o encontro com Mendes, mas negou interferência no STF . O ex-presidente também se disse indignado com a versão de que teria tentado pressionar o ministro. ‘Meu sentimento é de indignação’”, disse por meio de nota.

Leia a íntegra da nota

A Presidência da República informa que são no todo falsas as informações contidas na reportagem que, em uma de suas edições, apareceu com o título "Para Dilma, há risco de crise institucional", publicada hoje no diário O Estado de S. Paulo. Em especial, a audiência de ontem da presidenta Dilma Rousseff com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ayres Britto, tratou do convite ao presidente do STF para participar da Rio+20 e de assuntos administrativos dos dois poderes. Reiteramos que o conjunto da matéria e, em especial, os comentários atribuídos à presidenta da República citados na reportagem são inteiramente falsos.

Contrariando a prática do bom jornalismo, o Estadão não procurou a Secretaria de Imprensa da Presidência para confirmar as informações inverídicas publicadas na edição de hoje. Procurada a respeito da audiência, a Secretaria de Imprensa da Presidência informou ao jornal Estado de S. Paulo e à toda a imprensa que, no encontro, foram tratados temas administrativos e o convite à Rio+20.

Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

    Leia tudo sobre: lulamensalãogilmar mendesstfcpi do cachoeira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG