PT tentará acordo com PMDB para evitar ‘cochilos’ na CPI

Petistas querem acertar ponteiros com aliados sobre a convocação de Perillo e a quebra do sigilo das contas nacionais da Delta

Fred Raposo, iG Brasília |

AE
“Todos os encaminhamentos a partir de agora serão combinados com o PMDB”, diz Tatto
O PT vai procurar o PMDB, esta terça-feira, para tentar fechar um acordo a fim de evitar novos “cochilos” da base governista na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Cachoeira . A ideia é acertar com os peemedebistas pontos em que os aliados ainda divergem, como a quebra de sigilo das contas nacionais da Delta Construções e a convocação dos governadores Marconi Perillo (PSDB) e Agnelo Queiroz (PT).

“Todos os encaminhamentos a partir de agora serão combinados com o PMDB”, disse ao iG o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (SP). Ele admitiu que diferenças na base aliada vêm prejudicando os trabalhos na CPI. “Tem, por exemplo, quem queira convocar o Sergio Cabral (PMDB), e outros que querem o Agnelo”.

Entrevista ao iG: CPI pode virar farsa, diz líder tucano

A convocação dos governadores e a quebra de sigilo da Delta serão analisados hoje, em reunião administrativa da CPI. O assunto foi discutido pelos petistas em reunião de duas horas e meia, ontem à noite, na liderança da legenda no Senado. No encontro, os parlamentares avaliaram que, por causa das divergências, a base “cochilou” em alguns momentos, abrindo espaço para a oposição abrir fogo contra o governo.

Eles lembraram o episódio em que, na reunião da última terça-feira, o primeiro governista a falar, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), havia sido apenas o sétimo inscrito, o que permitiu que a oposição pressionasse o relator, deputado Odair Cunha (PT-MG). “Não podemos desviar o foco da CPI”, reforçou Tatto. “Será construída uma posição com o PMDB, e com certeza a base vai estar unida”.

Outra reclamação dos petistas, segundo apurou o iG , é que eles se sentiram “abandonados” pelo PMDB na defesa da manutenção do sigilo da Delta. “O PT não vai segurar sozinho a quebra do sigilo da Delta. O PMDB é que é o principal interessado”, afirmou um interlocutor presente à reunião, que pediu para não ser identificado, fazendo referência ao governador peemedebista Sérgio Cabral, flagrado em fotos ao lado do ex-presidente da Delta, Fernando Cavendish, em viagem a Paris.

A ideia, agora, é quebrar o sigilo da matriz nacional da empreiteira. No último dia 17, a CPI já havia aprovado a quebra do sigilo das contas da Delta movimentadas por seu ex-diretor para a região Centro-Oeste, Cláudio Abreu. Calcula-se que, na ocasião, foi quebrado o sigilo bancário de até 15 contas da construtora. Abreu é apontado pela polícia como integrante de suposto esquema de corrupção do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, que envolveria políticos e empresários.

    Leia tudo sobre: cpi do cachoeirapttattopmdbperillocabralagnelodelta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG