CPI aprova quebra de sigilo da Delta, mas adia convocação de governadores

Cândido Vaccarezza (PT-SP) foi o único a votar contra o requerimento que pedia a quebra dos sigilos da construtora

iG São Paulo |

Em sessão realizada nesta terça-feira, a CPI do Cachoeira aprovou o requerimento que pedia a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico da Delta nacional. A empresa é investigada pela comissão por conta das relações suspeitas com grupo comandado pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Por outro lado, os parlamentares adiaram novamente a discussão sobre o requerimento que pedia a convocação dos governadores de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), e do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB).

Na parte final da reunião da CPI, o único membro da comissão a votar contra a quebra dos sigilos da Delta nacional foi o deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP). Pouco depois da votação, marcada por um clima tenso, a reunião foi encerrada.

Em relação ao novo adiamento da votação sobre a convocação dos governadores, o deputado Gladson Cameli (PP-AC) apresentou uma questão de ordem sobre a possibilidade de a CPI convocar governadores de Estado, e o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), disse que só vai responder a este questionamento na próxima reunião administrativa do colegiado. Com isso, ao contrário do que era esperado para esta terça, a CPI não votou o requerimento.

“Além de quebrar o sigilo, queremos votar favoravelmente a todos os requerimentos, doa a quem doer, sejam quem for. Não vamos obstruir nenhum tipo de votação. Queremos votar todos. Só lamentamos o fato de ter sido sobrestada a convocação dos governadores”, afirmou o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

Na semana passada, após um acordo entre as lideranças, o requerimento de autoria do senador Pedro Taques (PDT-MT) foi rejeitado, e a reunião administrativa foi marcada para esta terça-feira. 

Desde o começo dos trabalhos da comissão, há mais de um mês, há forte pressão para convocar os três governadores, mas a base governista tem resistido a colocar os requerimentos em votação.

Perillo e Queiroz têm situação mais delicada, porque são citados nas investigações das operações Vegas e Monte Carlo, da Polícia Federal, que deram origem à CPI mista.

O governador de Goiás disse a aliados que aceita ir à CPI, mas o relator da comissão, deputado Odair Cunha (PT-MG), tem dito que, nesse momento, um depoimento dos governantes não contribuiria para as investigações parlamentares.

Mais cedo, antes da votação dos requerimentos, os membros da CPI elegeram o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) vice-presidente da comissão. Sob fortes protestos e reclamações dos parlamentares dos partidos de oposição, o ex-líder do PT na Câmara recebeu 21 votos do colegiado, em votação secreta. O senador Pedro Taques (PDT-MT) teve oito votos. Dois integrantes da CPI anularam o voto.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG