Comissão debate regra que tornaria Ficha Limpa mais branda

Proposta prevê que governador, prefeito ou servidor com conta rejeitada por improbidade só se tornará inelegível após sentença

Agência Câmara |

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania realizará nesta terça-feira (29) audiência pública para discutir o Projeto de Lei Complementar (PLP) 14/11, que revoga uma regra da Lei da Ficha Limpa sobre inelegibilidade.

Leia também: Comissão do Senado estende Ficha Limpa para servidores

A proposta estabelece que o governador, o prefeito ou servidor público que tiver suas contas rejeitadas por improbidade administrativa, em decisão irrecorrível de Tribunal de Contas, só se tornará inelegível depois que a decisão for confirmada em sentença definitiva de órgão judicial colegiado.

Atualmente, a lei não exige a manifestação da Justiça para que o político se torne inelegível por oito anos. Basta que as contas sejam rejeitadas pelo Tribunal de Contas por "irregularidade insanável" caracterizada como ato de improbidade administrativa. Essa regra foi incluída na norma em 2010, pela Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10).

No último dia 22, o Plenário aprovou projeto que permite registro de candidato que teve contas rejeitadas por tribunal de Contas.

    Leia tudo sobre: Ficha LimpainelegívelCâmara

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG