Derrotado pelo ex-governador nas prévias do partido, em março, secretário estadual de Energia prestigiou jantar para arrecadar fundos à campanha tucana e ficou ao lado de Serra no palco

As feridas deixadas pelas prévias do PSDB que definiram o ex-governador José Serra como o pré-candidato do partido à prefeitura de São Paulo parecem estar cicatrizadas. Ao menos é o que fizeram questão de tentar mostrar as principais lideranças tucanas que compareceram a um jantar organizado pelo diretório paulista para arrecadar fundos à campanha e comemorar os 24 anos da legenda, fundada em 1988. O evento aconteceu no luxuoso Buffet Baiúca, no bairro de Higienópolis (Zona Oeste da capital), na noite desta segunda-feira.

-Sem citar Lula, Serra diz que suposta interferência no STF é 'indevida'

Além do próprio Serra e do governador Geraldo Alckmin, que foi o primeiro a discursar e logo deixou o local, chamou a atenção a presença do secretário estadual de Energia de São Paulo, José Aníbal, pré-candidato derrotado por Serra nas prévias do partido realizadas no fim de março. Ele terminou como o segundo mais votado na ocasião, com 31,2%, atrás de Serra (52,1%) e à frente do deputado federal Ricardo Trípoli (16,7%).

“Está perfeito. O partido saiu forte das prévias. Foi um bom processo, inclusive um processo que muita gente achou que ia causar muitas cisões dentro do partido e, ao contrário, serviu para unificar. O partido saiu forte com a escolha do Serra e o apoio de todos”, afirmou ao iG o ex-secretário municipal de Cultura, Andrea Matarazzo, que abriu mão de sua pré-candidatura nas prévias para apoiar Serra.

Aníbal, que até esta noite vinha se mantendo distante dos eventos da pré-campanha de Serra à prefeitura, foi a primeira liderança expressiva do partido a chegar ao Buffet, às 19h40 – mas também um dos primeiros a ir embora, antes mesmo de o jantar ser servido. Cinco minutos depois, às 19h45, foi a vez do governador Geraldo Alckmin. Matarazzo apareceu às 20h, dez minutos antes da chegada de Serra. O deputado federal e ex-líder tucano na Câmara, Duarte Nogueira (SP), chegou ao local à 20h20.

No palco do salão principal, Serra, Aníbal e Matarazzo estiveram lado a lado. Também participaram do evento o presidente estadual do PSDB-SP, Pedro Tobias; o presidente da Assembleia Legislativa do Estado, Barros Munhoz; o deputado estadual Orlando Morando; o deputado federal Wanderlei Macris; o ex-governador Alberto Goldman, entre outras lideranças tucanas no Estado.

Durante o processo de prévias que definiram a escolha de Serra como pré-candidato tucano a prefeito de São Paulo, José Aníbal fez críticas públicas à postura do colega de partido, que só decidiu participar do pleito no final de fevereiro, o que atrasou a votação em quase um mês. Além disso, Aníbal não aprovou a retirada das pré-candidaturas de Matarazzo e do secretário do Meio Ambiente, Bruno Covas, que decidiram não concorrer e anunciaram apoio a Serra. Mais ligado a Alckmin, Aníbal subiu o tom das críticas na reta final das prévias e conclamou a militância tucana a votar pela renovação.

Seguindo a mesma linha de Andrea Matarazzo, Duarte Nogueira disse ao iG que o PSDB superou as divergências internas durante as prévias e segue unido para eleger Serra prefeito. “Vai unido, vai coeso, motivado, entusiasmado. O governador (Alckmin) deu o tom, o Serra ratificou o compromisso de ser um grande prefeito. Sabemos da importância dessa sintonia entre a prefeitura e o governo do Estado”, afirmou o tucano. “Vamos fazer uma campanha pé no chão, contato direto, propostas concretas, fortalecer as questões sociais que envolvem diretamente o bem estar das pessoas. E o PSDB está dando bons exemplos, com unidade partidária e grande capacidade de articulação, somando apoio de outros partidos.”

Cada convite para o jantar organizado pelo PSDB esta noite custou R$ 1 mil, e a expectativa era de que cerca de 250 a 300 pessoas participassem do encontro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.