Dino nega ser candidato à Prefeitura de São Luís em 2012

O presidente da Embratur diz que pensa em planos para 2014, quando ele pretende se candidatar ao governo

Wilson Lima e Nivaldo Souza, iG Brasília |

O presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) negou que será candidato à Prefeitura de São Luís, capital do Maranhão, em 2012. Segundo ele, existe um projeto político maior em curso: a disputa pelo governo do Estado em 2014.

Leia mais: PT intervém no Recife e convoca nova prévia

Câmara: Aprovado projeto que permite candidatura de 'contas-sujas'

Dino é apontado por pesquisas como o favorito na disputa rumo à prefeitura da capital maranhense. “Nesse momento, faltam 13 dias para o fim do prazo de desincompatibilização. Eu tenho um desejo claro de não ser candidato. É um desejo. Mas eu tenho compromissos assumidos, um conjunto de forças políticas e acima de tudo milhares de maranhenses que esperam um processo de mudança e de correção de rumos do nosso estado pra suprir essa contradição inaceitável de um estado rico e ao mesmo tempo rico em pobreza”, disse Dino ao iG .

Alianças: PSB nega acordo com Haddad e diz que candidatura própria ganhou corpo

Ainda segundo ele o falecimento do filho, Marcelo, em fevereiro deste ano também pesou na decisão. Marcelo Dino, de 13 anos, morreu supostamente vítima de um erro médico em Brasília. “Estou vivendo uma tragédia pessoal que exige um esforço meu adicional e um compromisso com a minha família. É impossível superar. Eu não falo no passado, falo no presente. Não existe superação para a dor da perda”, ressaltou.

Nesse momento, a aposta de Dino é apoiar candidatos alinhados com o seu projeto político de ser governador em 2014. Entre os nomes ventilados como os favoritos do presidente da Embratur estão o deputado federal Edivaldo Holanda Júnior (PTC), a deputada estadual Eliziane Gama (PPS), ex-deputado federal Roberto Rocha (PSB) e o ex-prefeito da capital Tadeu Palácio (PP). “Nós temos aliados de grande valor, bem posicionados, temos um processo em curso em construção de uma aliança política ampla para 2012 e 2014 e eu acredito que nós teremos daqui até esse prazo final uma boa solução. Algo que permita eu não ser candidato e ao mesmo tempo nós apoiarmos um candidato vitorioso, vencedor e que encarne esse programa de mudança”, disse.

Durante essa semana, um dos principais aliados de Dino, o ex-governador José Reinaldo (PSB), anunciou adesão ao governo do prefeito João Castelo (PSDB), em São Luís. O tucano é adversário de Dino. Segundo Dino, essa foi uma decisão exclusivamente de Reinaldo. Uma decisão que ele considerou equivocada visando a construção do projeto político contrário ao grupo Sarney em 2014.

“Esse fato da entrada do governador José Reinaldo na administração João Castelo é um fato individual dele. Não foi algo discutido comigo, ou com o meu partido. E ao que me consta, sequer o PSB também decidiu isso. É uma opção pessoal dele que eu respeito, naturalmente”, disse. “Eu imagino que o caminho em 2012 é outro. O prognóstico que nós fazemos é um cenário político que nós apresentemos uma candidatura de fato autenticamente vinculada a esse projeto de renovação e de mudança política do Estado. E isso se articula nas 217 cidades. A situação de São Luís é um ensaio para o que pode acontecer em 2014”, finalizou.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG