Petista diz que cedeu gabinete a Cachoeira a pedido da polícia

Humberto Costa afirma que os dois não se encontraram porque estava fora da sala, usada pelo contraventor para driblar jornalistas

Fred Raposo, iG Brasília |

O senador e ex-líder petista Humberto Costa (PE) disse ao iG que cedeu seu gabinete para que o contraventor Carlinhos Cachoeira entrasse escondido na Casa a pedido da polícia do Senado. A estratégia ajudou o empresário goiano a driblar jornalistas que aguardavam sua chegada ao plenário da CPI.

Mais TV iG: Chegada de mulher de Cachoeira, 'musa da CPI', causou alvoroço no Congresso

Leia mais: 'Não-depoimento' de Cachoeira é um dos assuntos mais comentados no Twitter

Leia também: Cachoeira se nega a responder às perguntas dos parlamentares na CPI

Assista: Veja o depoimento de Carlinhos Cachoeira à CPI

Costa explicou que seu gabinete é o que “tem menos acesso” da Casa e que “imediatamente coloca a pessoa no corredor entre os gabinetes”, sem que ela seja abordada. “A segurança solicitou e nós liberamos para que ele pudesse entrar por lá”, contou o parlamentar.



Do gabinete do petista, Cachoeira usou uma “passagem estratégica” nos fundos da sala de Costa, por onde conseguiu aguardar o início da sessão da CPI sem ser incomodado. O petista negou, contudo, que os dois tenham se encontrado. “Eu não estava lá”, assinalou.

Sobre o “não-depoimento” de Cachoeira à CPI, Costa ressaltou que o comportamento do contraventor “já era esperado”. “Ele não iria responder às perguntas que lhe fossem feitas, orientado pelos seus advogados. Termina sendo uma grande perda de tempo tentar fazer com que ele fale”, reforçou o senador.

Para o petista, o comportamento do empresário “agrava sua situação”. “Há uma leitura de que ele poderia se defender, e ele abre mão desta prerrogativa”, afirmou Costa. “Ele está aí como acusado”. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG