CGU rejeita pedido da Delta para ampliar prazo de defesa

Ministro-chefe da CGU, Jorge Hage, alegou que a solicitação da empreiteira tem 'clara intenção protelatória'

iG São Paulo |

A Controladoria-Geral da União (CGU) negou nesta terça-feira pedido da construtora Delta para aumentar o prazo de defesa no processo que pode impedir a empresa de firmar contratos com o poder público. O processo na CGU foi aberto no final do mês passado para apurar a prática de irregularidades na execução de contratos com a administração federal.

Leia mais: 'Estamos preocupados com as obras da Delta', diz ministro das Cidades ao iG

Leia também: Ausência de advogado não interfere em parecer sobre Demóstenes, diz relator

Mais CPI: Cachoeira compareceu ao Congresso, mas ficou em silêncio

Segundo apurações da Policia Federal (PF), a Delta integra rede criminosa montada pelo empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, suspeito de comandar uma rede criminosa que tinha relações com autoridades, políticos e empresários. Os relatórios da PF indicam que os diretores da construtora recebiam informações privilegiadas sobre licitações públicas e, em troca, faziam pagamentos a empresas fantasma de Cachoeira, que compareceu nesta terça ao Congresso para prestar depoimento, mas ficou em silêncio. 

A CGU informou, por meio de nota, que o ministro-chefe Jorge Hage negou o pedido para aumentar o prazo alegando que a solicitação da empreiteira tem "clara intenção protelatória". De acordo com o texto, a empresa já havia conseguido dilatar o prazo anteriormente e recebeu cópia integral do processo nos formatos físico e eletrônico.

Com Agência Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG