Após racha no Recife, presidente do PT vai a Fortaleza

Cúpula do partido tentará um acordo entre os pré-candidatos de Fortaleza após crise por supostas irregularidades nas prévias do Recife

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

AE
Presidente nacional do PT irá pessoalmente a Fortaleza na semana que vem
Depois da crise deflagrada com acusações de irregularidades nas prévias que deveriam escolher o candidato do PT à prefeitura do Recife, a cúpula nacional do partido decidiu agir rápido para impedir que o mesmo aconteça em outras capitais onde o quadro segue indefinido.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, irá pessoalmente a Fortaleza na semana que vem para tentar um acordo entre os quatro pré-candidatos petistas à sucessão de Luiziane Lins (PT).

Leia também: PT avalia intervenção nacional em Recife para pôr fim à crise

Poder Online: Em discurso irado, Rands não reconhece derrota nas prévias de Recife

“O presidente Rui Falcão foi convidado para participar do nosso encontro municipal, marcado para o dia 3 de junho, mas deve vir alguns dias antes para ajudar na construção da candidatura”, disse o presidente do diretório municipal do PT em Fortaleza, Raimundo Angelo.

Faltando poucas semanas para o término do prazo de escolha do candidato, cinco nomes continuam na disputa. O favorito é o secretário municipal de Educação, Elmano de Freitas, que tem o apoio de cerca de 70% dos 300 delegados escolhidos para o encontro que definirá o nome.

Além dele continuam no páreo o deputado federal Artur Bruno, o secretário de Cidades, Camilo Santana, e o vereador Guilherme Sampaio. Além de ser a maior capital governada hoje pelo PT, Fortaleza é considerada peça fundamental nas negociações de alianças entre o PT e o PSB em nível nacional.

O encontro municipal estava marcado para o dia 20, mas foi adiado por duas semanas para que os dois partidos pudessem avançar nas negociações de aliança que deve incluir também o PMDB.

Apesar da disputa acirrada entre os quatro pré-candidatos, o PT de Fortaleza rejeita a possibilidade de que se repita na capital cearense o racha ocorrido no Recife.

“Existe uma grande possibilidade de chegarmos ao dia 3 de junho com uma candidatura de consenso. Mesmo que isso não ocorra tenho certeza de que o processo aqui será mais tranquilo e totalmente diferente do que aconteceu com nossos colegas lá do Recife”, disse Raimundo Angelo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG