Stepan reclama por não ter sido notificado sobre caso Cachoeira

Deputado licenciado do PPS-RJ admite que comprou ingressos do carnaval do Rio de Janeiro para o contraventor, que é seu amigo

AE |

selo

Investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeita de envolvimento ilícito com o contraventor Carlinhos Cachoeira, o deputado Stepan Nercessian (PPS-RJ) reclamou nesta quinta-feira, em discurso no plenário da Câmara, por até o momento não ter recebido nenhuma notificação formal da Corte, da Procuradoria-Geral da República (PGR) ou da Polícia Federal (PF).

Leia mais: Procurador-geral confirma que já recebeu perguntas da CPI

Leia também: CPI vai pedir no STF fim do sigilo de investigações contra Cachoeira

Mais CPI: Comissão poupa governadores e ex-dono da Delta de serem convocados

Stepan disse que faz mais de 40 dias que seu nome apareceu em gravações da PF, como tendo pedido R$ 160 mil de empréstimo a Cachoeira. No discurso, ele afirmou que pagou o contraventor quatro dias depois e que nem precisou usar o dinheiro dele, a quem considera amigo.

"Não estou aqui para fazer defesa de crime que não cometi. Meu advogado me garantiu que pedir dinheiro emprestado não é crime e pagar muito menos", disse o deputado, que pediu licença do PPS assim que seu envolvimento com o contraventor foi tornado público para se defender.

Stepan reconheceu que comprou para Cachoeira ingressos para o carnaval do Rio de Janeiro. Ele disse que é frequentar dos desfiles e ensaios carnavalescos. "Estou esperando o momento exato de apresentar à Justiça, assim que me for dado o direito, as provas e explicações que se fizerem necessárias", afirmou o parlamentar. 

Com Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG