Após receber apoio de PV e PSD, pré-candidato tucano fecha mais uma aliança em evento que teve tom nacional

O PSDB recebeu nesta quinta-feira o apoio do DEM em torno da candidatura do ex-governador José Serra na corrida pela prefeitura de São Paulo. Em evento que contou com as principais lideranças nacionais do partido, como o presidente nacional do DEM, senador José Agripino Maia (RN), e o líder da bancada democrata na Câmara, deputado ACM Neto (BA), Serra foi aclamado pela militância.

Leia mais: DEM nega troca de apoio por vice na chapa de Serra

Leia também: Serra desconversa sobre apoio de Aníbal

Saiba mais: PV anuncia apoio formal a Serra; militância quer Eduardo Jorge como vice

José Serra (PSDB) recebe apoio do DEM em evento na capital paulista
AE
José Serra (PSDB) recebe apoio do DEM em evento na capital paulista

Na última semana, o PSDB já havia recebido o apoio de outros dois partidos, o PV e o PSD do atual prefeito da capital paulistana, Gilberto Kassab . Numa costura política que teve como principal articulador o governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB), os tucanos receberam o apoio do DEM e se comprometeram a apoiar a pré-candidatura de ACM Neto à prefeitura de Salvador.

Possível indicação futura do DEM para compor a chapa de Serra como candidato a vice-prefeito, o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia, deu o mote do discurso nacional do evento.

“Ao Democratas, não restava outra outra escolha que não fosse o apoio à candidatura de José Serra. O que queremos para a cidade de São Paulo é um prefeito do tamanho do Brasil”, afirmou, aplaudido pelos correligionários.

Serra agradeceu o apoio do DEM e não economizou nos elogios a Alckmin, principal articular da aliança com os democratas. “Vamos governar juntos. São Paulo tem dois prefeitos: o prefeito municipal e o ‘prefeito estadual’, que é o governador do Estado. O nosso comandante, que é o ‘prefeito estadual’, o Alckmin, e eu, que vou comandar a prefeitura municipal, com muita honra”, disse o tucano.

O pré-candidato do PSDB destacou a importância da construção de um amplo arco de alianças para a disputa municipal. “Já temos quatro partidos e vamos ampliar o arco de alianças. A palavra de ordem neste momento é somar. Essa é a questão fundamental nas próximas semanas”, afirmou Serra.

Tom nacional

Além de Alckmin, Agripino Maia e ACM Neto, outras importantes lideranças nacionais do PSDB e do DEM marcaram presença no ato de apoio a Serra, como o deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), o líder tucano na Câmara, Bruno Araújo (PE), o ex-líder Duarte Nogueira (SP), além do deputado Walter Feldman (PSDB), do presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz (PSDB), entre outros. O tom do discurso foi de união das oposições em nome de um projeto nacional.

“O DEM e o PSDB têm uma tradição de servir ao povo brasileiro. Assim foi com o ex-presidente FHC (1995-2002) e com o Marco Maciel (vice-presidente no período). Mudaram o Brasil. E aqui em São Paulo, com o governador Mário Covas, que reergueu o Estado”, disse Alckmin, citando a parceria já antiga entre tucanos e o antigo PFL, atual DEM. “Essa é uma união que tem história e tem futuro. E hoje nós temos uma grande aliança e um grande candidato. O Serra é um homem aprovado.”

Agripino Maia, presidente nacional do DEM, revelou que até tentou conseguir a presença de FHC na cerimônia, mas não foi possível por conta da agenda lotada do ex-presidente. E convocou a oposição em nível federal a lutar pela manutenção de seu predomínio político na maior cidade do Brasil.

“O nosso espaço é um só, é o espaço da oposição”, disse. “Trabalhamos para vencer resistências (para apoiar Serra), porque elas existiram. Mas a coisa mais importante de todas é a união das oposições. Onde o PSDB for mais forte, o DEM apoiará. Onde o DEM for mais forte, o PSDB apoiará. Não faz sentido disputarmos o mesmo espaço, pelo bem da oposição no Brasil. A virada do Brasil passa, necessariamente, pela vitória de José Serra em São Paulo.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.