Dragagem na Pampulha vai procurar corpos de desaparecidos políticos

Prefeito de Belo Horizonte diz ao iG que revelação de agente da ditadura, sobre corpos jogados na lagoa, poderá ser confirmada com trabalho programado para o próximo ano

Denise Motta, iG Minas Gerais |

Divulgação
Marcio Lacerda, prefeito de Belo Horizonte, em evento nesta quarta-feira
A possibilidade de haver corpos de desaparecidos políticos na Lagoa da Pampulha, cartão postal de Belo Horizonte, será apurada pelo poder público municipal. Nesta quarta-feira (16), o prefeito Marcio Lacerda (PSB) disse ao iG não ter nenhuma informação, mas admitiu que a tese pode ou não se confirmar. A informação foi revelada com exclusividade pelo iG . A Lagoa da Pampulha faz parte de um complexo arquitetônico projetado por Oscar Niemeyer durante a gestão do prefeito Juscelino Kubitschek.

Presos foram esquartejados e jogados na Lagoa da Pampulha

“Estamos avaliando isso, mas, até hoje, todas as dragagens (limpeza da lagoa) que foram feitas nos últimos anos, até hoje, até onde eu sei, nada foi encontrado. Nós vamos fazer uma nova dragagem bastante extensa no próximo ano. Não sei. Vamos ver”, comentou Lacerda, que foi preso durante o Regime Militar, por lutar contra a ditadura.

O prefeito também comentou a respeito da criação da Comissão da Verdade , com objetivo de desvendar crimes cometidos durante os Anos de Chumbo. Para ele, é importante o resgate da verdade, especialmente para dar uma satisfação aos familiares de desaparecidos durante a ditadura. “É preciso que as pessoas tenham informações de como estes fatos aconteceram. É preciso que o País reconcilie com o seu passado. Todos os países da América Latina que tiveram estes períodos de ditadura violenta fizeram este trabalho de apuração e reconciliação”, avaliou o prefeito.

Mais notícias de Minas Gerais

Questionado se, particularmente, gostaria de punição para os torturadores, Lacerda demonstrou que já superou eventuais traumas. “A anistia foi muito clara. Existem divergências jurídicas a respeito disso, mas a anistia foi recíproca. O importante é que a verdade seja esclarecida".

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG