Falha do PT deixa programa de Haddad fora da TV Globo

‘É tanta incompetência que fica difícil até apontar o culpado’, disse um dirigente do partido engajado na candidatura do petista

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

As falhas do PT que levaram a TV Globo a deixar de fora as inserções nacionais do partido provocaram novas turbulências na campanha do pré-candidato do partido à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad.

Leia mais: Falcão aposta em Lula e Dilma para Haddad sair dos 3%

Mau humor, irritação, trocas de acusações foram a tônica em conversas reservadas com dirigentes petistas. Depois de muita indefinição o vereador Chico Macena, um dos coordenadores da campanha de Haddad, publicou no Twitter um link para os vídeos nos quais Haddad aparece ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Pesquisa Ibope: Com 31%, Serra lidera disputa em São Paulo; Haddad tem 3%

Análise: PT usará ‘fator Lula’ por Haddad e PSDB minimiza rejeição a Serra

“É tanta incompetência que fica difícil até apontar o culpado”, disse um dirigente do partido engajado desde o começo na candidatura de Haddad.

A Globo se recusou a transmitir as inserções porque o PT perdeu o prazo de 15 dias para informar a emissora. Segundo fontes petistas, o partido interpretou de forma errada uma sentença do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo proferida em março. Na época, o partido foi punido com a suspensão do programa de TV por ter feito campanha antecipada a favor da então candidata Dilma Rousseff em 2010.

A suspensão incluía apenas os blocos de 10 minutos do programa. O TRE-SP não suspendeu as inserções de até um minuto, mas o PT interpretou a sentença como se fosse o cancelamento de todo o tempo de TV do partido.

A confusão só foi desfeita na semana passada. Lula e Haddad correram para o estúdio de uma produtora em São Paulo para gravar o programa, mas não havia mais tempo hábil para informar a TV Globo. Segundo a lei, as emissoras devem ser informadas com no mínimo 15 dias de antecedência. O PT avisou a Globo apenas seis dias antes. Em nota, a emissora alega que se a Justiça acatar pedido de liminar do partido estará pronta para veicular as propagandas.

Os anúncios na TV eram vistos pelo partido como fundamentais para vincular o nome de Haddad ao de Lula e torná-lo mais conhecido. O PT nacional se recusou a comentar a confusão. Macena e o coordenador geral da campanha, Antonio Donato, foram procurados, mas não foram encontrados.

A confusão é mais uma da longa lista de dificuldades encontradas pelo partido para emplacar a candidatura de Haddad. Primeiro foi a forma traumática como outros pré-candidatos, em especial a senadora Marta Suplicy, foram descartados da disputa.

Depois vieram as disputas internas por postos na coordenação da campanha de Haddad, a falta de experiência eleitoral do pré-candidato, a doença que afastou Lula da pré-campanha, as críticas internas pela aproximação com o PSD de Gilberto Kassab, a dificuldade em compor um arco de alianças e, finalmente, a suspensão dos programas na TV. Segundo o Ibope, Haddad está empacado em 3% das intenções de voto atrás de José Serra (PSDB, 31%), Celso Russomanno (PRB, 16%), Netinho de Paula (PC do B, 8%), Soninha Fancine (PPS, 7%), Gabriel Chalita (PMDB, 6%) e Paulinho da Força (PDT, 5%).

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG