Conselho de Ética ouve delegados das operações Vegas e Monte Carlo

Reunião desta terça-feira será fechada; presidente do Conselho afirmou que motivo é preservar 'sigilo profissional dos convidados'

iG São Paulo |

Os delegados da Polícia Federal (PF) Raul Alexandre Marques Souza, responsável pela Operação Vegas, e Matheus Mella Rodrigues, da Operação Monte Carlo, prestam, na manhã desta terça-feira, depoimento ao Conselho de Ética do Senado. O órgão aprovou na semana passada a abertura de processo contra o senador Demóstenes Torres (sem partido - GO) , acuasdo de quebra de decoro parlamentar por manter estreitas relações com o contraventor Carlinhos Cachoeira .

iG explica: Entenda a crise envolvendo o senador Demóstenes Torres

Agência Senado
Senador goiano Demóstenes Torres é investigado por quebra de decoro parlamentar

Logo após abrir os trabalhos, o conselho decidiu que a reunião será fechada. Com apenas o voto contrário do senador Mário Couto (PSDB-PA), o presidente do conselho, Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), anunciou que o fechamento se deu por causa do "sigilo profissional dos convidados".

Valadares informou também que consultou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski sobre a constitucionalidade dos depoimentos de hoje. Segundo ele, Levandowski disse que ambos não são partes ativas do processo no STF e, por isso, não caberia ao ministro estabelecer regras sobre a participação dos depoentes no Conselho de Ética.

Valares explicou que a os delegados federais estão presentes na reunião com permissão expressa do Departamento Geral da Polícia Federal.

O Conselho de Ética está programado para ouvir na quarta-feira os procuradores Daniel de Resende Salgado e Léa Batista de Oliveira, que participaram da Operação Monte Carlo - operação esta que resultou na prisão de Carlinhos Cachoeira em fevereiro , acusado de comandar um esquema de exploração de máquinas de caça-níqueis.

Na próxima terça-feira, o Conselho ouve o advogado Ruy Cruvinel, a pedido da defesa de Demóstenes. No dia 23 de maio, deverá ser a vez de Carlinhos Cachoeira prestar seu depoimento, enquanto o senador goiano comparecerá em 28 de maio.

Ao fim das investigações, o relator, senador Humberto Costa (PT-PE), apresentará o relatório final indicando as punições que devem ser aplicadas a Demóstenes. Poderão ser aplicadas sanções que variam de uma simples advertência até a perda do mandato.

Demóstenes e Cachoeira também serão ouvidos pela CPI que investiga elo do bicheiro com parlamentares . O senador presta esclarecimentos no dia 31 e Cachoeira, no dia 15. 

Com Agência Senado e Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG