“Decisão já era esperada”, diz integrante da CPI

Randolfe Rodrigues (PSOL-AL) acredita que comissão vai recorrer da decisão do Supremo que adiou o depoimento de Cachoeira

Wilson Lima, iG Brasília |

O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), integrante da CPI do Carlinhos Cachoeira, afirmou ao iG na noite desta segunda-feira que já esperava a suspensão do depoimento do bicheiro , inicialmente marcado para às 14h desta terça-feira. Carlinhos Cachoeira foi beneficiado por um habeas corpus concedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, na noite desta segunda-feira.

Rodrigues defende que os integrantes da CPI peçam uma reunião com os ministros do Supremo expondo a importância do depoimento de Carlinhos Cachoeira. Ele também afirma que provavelmente a CPI vai recorrer da decisão do ministro Celso de Mello. “Era uma decisão que já se esperava. Nós já imaginávamos que havia 50% de chance de ser deferida e outros 50%, de não ser deferida”, analisou o senador.

Segundo o senador, a decisão do STF não vai atrapalhar os rumos da investigação sobre os braços político-financeiro de Cachoeira. Isso porque, algumas informações importantes para a CPI devem vir da quebra do sigilo bancário do bicheiro. Ele acredita que ainda haverá chances de Cachoeira ser ouvido pelos senadores. “Vamos chegar à verdade. Mas vai demorar mais um tempo”, disse.

O advogado de Carlinhos Cachoeira, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Márcio Thomaz Bastos, ingressou com um habeas corpus tentando impedir o depoimento de Cachoeira alegando que o bicheiro ainda não teve acesso, de forma oficial, aos autos do processo que servem de base para a investigação dos senadores. Bastos classificou como “inquisição” a tentativa de ouvir Cachoeira antes dele ter acesso a esses documentos.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG