Senado estuda gastar R$ 140 mil com estande na Rio+20

Para vender livros em exposição, a Casa formula projeto com estande de 100 m2. Diretoria cogita levar 60 servidores para evento

Adriano Ceolin e Fred Raposo, iG Brasília |

O Senado tem pronto um projeto de estande com 100 m2, no valor de R$ 140 mil, para vender livros durante a Rio+20, conferência internacional que vai discutir uma agenda sustentável para o mundo. A iniciativa ainda não foi aprovada pelo presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), mas os idealizadores da proposta cogitam levar cerca de 60 funcionários, com todas as despesas pagas para participar do evento na capital fluminense.

Especial do iG: Saiba mais sobre a Rio+20

A cifra em estudo não incluiria, contudo, os gastos com transporte, hospedagem e alimentação dos servidores. O iG teve acesso ao projeto, cuja coordenação é da diretoria-geral adjunta do Senado. O estande prevê 16 vitrines, duas salas reservadas aos parlamentares, uma área de atendimento e até uma copa. O projeto foi elaborado pelo arquiteto do Senado, Sidney Vieira Carvalho.

O Gabinete da Secretaria de Informação e Documentação (GSIDOC) é o setor responsável pela parte de infraestrutura do estande. Chefe de serviço do GSIDOC, Alan Silva confirmou a encomenda do projeto de estande. “Veja bem o preço não está definido porque não está escrito no manual do expositor, mas a gente imagina que vai ser na ordem de R$ 140 mil”, afirmou Alan Silva ao iG .

Ele não soube precisar quantos funcionários serão enviados ao Rio de Janeiro. Porém, a reportagem apurou que a Diretoria Geral do Senado cogita levar cerca de 60 servidores, 15 deles integrantes da Secretaria de Comunicação Social da Casa. A Subsecretaria de Edições Técnicas, responsável pelas publicações da Casa, deve deslocar pelo menos 15 de seus membros.

As comissões de Relações Exteriores e de Meio Ambiente estimam mandar pelo menos cinco integrantes cada. O número de senadores deverá ficar em torno de 24, ou seja, quase um terço da composição do Senado. O iG apurou ainda que, na parte de exposição, o estande do Senado será composto por três sofás de dois lugares, três puffs, duas TVs e quatro ilhas de atendimentos com dois computadores cada.

Alan Silva afirmou que o processo para a criação da comissão que irá para a Rio+20 ainda está em fase de tramitação. Do ponto de vista administrativo, é necessária a autorização da Mesa Diretora para despesas como estadia e passagens aéreas. No entanto, a assessoria de imprensa do Senado já confirmou à reportagem que a definição sobre o projeto da Rio +20 deve sair até o próximo fim de semana.

    Leia tudo sobre: senadorio+20meio ambientesarneyrio20

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG