Conselho de Ética aprova abertura de processo contra Demóstenes

Por unanimidade, membros acatam proposta de relator Humberto Costa e decidem abrir processo que pode levar à cassação de senador

iG São Paulo |

Agência Senado
Conselho de Ética do Senado se reuniu nesta terça-feira
Por unanimidade, o Conselho de Ética do Senado decidiu nesta terça-feira abrir processo contra o senador Demóstentes Torres (sem partido-GO). A decisão, que pode levar à cassação do parlamentar, foi tomada durante reunião realizada para analisar o relatório preliminar de Humberto Costa (PT-PA), que continha essa proposta.

iG explica: Entenda a crise envolvendo o senador Demóstenes Torres

Para Costa, há indícios que levam Demóstenes a ter de responder por processo disciplinar, por quebra de decoro parlamentar e por práticas contrárias à ética.

No relatório, o senador relaciona uma série de ações atribuídas a Demóstenes em favor do empresário de jogos ilegais Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira . No plenário do Senado, Demóstenes negou manter relações políticas e de negócios com Carlinhos Cachoeira. Segundo ele, ambos eram apenas amigos.

Cachoeira está preso desde o dia 29 de fevereiro , acusado de comandar uma rede criminosa envolvendo políticos. Essas ligações foram investigadas nas operações Vegas e Monte Carlo, da Polícia Federal, que flagraram conversas entre Demóstenes e Cachoeira.

O processo de cassação foi instaurado a partir de uma ação movida pelo senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). Nela, o PSOL acusa Demóstenes de quebrar o decoro parlamentar por se envolver com Carlinhos Cachoeira.

Saiba mais: Membros da CPI reclamam de ‘sala da verdade’ para acessar inquérito

Na segunda-feira, o advogado de Demóstenes, Antônio Carlos de Almeida Castro, protocolou um pedido para adiar a votação no Conselho por mais dez dias. Kakay, como é conhecido, alegou que precisava de mais tempo para analisar o relatório de Humberto Costa, que trazia fatos novos para o caso. O presidente do Conselho de Ética, Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), entretanto, negou a requisição e prosseguiu com a votação.

Também nesta terça-feira, a CPI que investiga a "rede" de negociatas de Cachoeira vai ouvir seu primeiro depoente, o delegado da Polícia Federal Alexandre Marques de Souza, responsável pelas investigações da Operação Vegas.

A reunião será fechada e apenas os parlamentares que integram a comissão de inquérito poderão estar presentes. O objetivo é evitar o vazamento de informações contidas no inquérito que está sendo analisado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Com Agência Senado e Agência Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG