Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, escutas indicam que Dadá (araponga de Cachoeira) tem 'amizadezinha' com Carlos Verdini

O novo presidente da Delta Construções, Carlos Alberto Verdini, também pode ter relações com o grupo do bicheiro Carlos Cachoeira, segundo escutas telefônicas feitas pela Polícia Federal.

Verdini assumiu o cargo depois que o dono da empresa, Fernando Cavendish, se afastou após denúncias contra a Delta.

De acordo com reportagem do jornal Folha de São Paulo deste domingo (6 de maio), o sargento da reserva da Aeronáutica Idalberto Araújo, o Dadá, disse ter proximidade com Verdini, durante conversa com um policial. Para a PF, Dadá é um Araponga que tinha papel central no grupo de Cachoeira ao tentar benefício da Delta no Centro-Oeste.

Segundo a Folha, a conversa de Dadá com o policial revela que ele tem uma “amizade” Verdini. “Eu estou ligando pro Verdini, e o Verdini também é outro cara que fala a verdade. Eu não estou conseguindo falar com o Verdini. Verdini é a coroa lá do comercial, entendeu? Ele foi sargento da FAB, a gente criou uma ‘amizadezinha’ com ele”, diz Dadá ao policial, que buscava ajuda para que a Delta contratasse empresa de publicidade.

Promotoria e CPI investigam elo de Cachoeira com Serra e Kassab, diz revista

A empreiteira Delta negou ao jornal qualquer tipo de relação entre seu presidente e Dadá.
“Não há sequer proximidade entre Carlos Verdini e Dadá”, diz nota enviada pela empresa. A construtora diz ainda que o diálogo apresentado pela Folha mostra que Dadá não consegue sequer falar com Carlos Alberto Verdini.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.