Falcão defende convocação de Perillo, mas exclui Agnelo e Cabral

Presidente do PT disse que a CPI é importante para mostrar ao eleitor que “nosso governo não dá tréguas à corrupção”

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, disse nesta sexta-feira que o único governador que deve, por enquanto, ser convocado pela CPI do Cachoeira é o goiano Marconi Perillo, do PSDB. Embora tenha defendido o aprofundamento das investigações, Falcão excluiu o petista Agnelo Queiroz (DF) e o aliado Sérgio Cabral, PMDB-RJ) da lista.

“É possível que em determinado momento eles (parlamentares da CPI) possam convocar algum governador, principalmente o Marconi Perillo do PSDB”, disse o presidente do PT. Questionado se o tucano é o único da lista, Falcão respondeu: “pelos dados apresentados até agora, sim”.

The Economist:  CPI 'promete espalhar mais sujeira do que o normal'

Leia também: Entenda a 'rede' de negócios do bicheiro Carlinhos Cachoeira

Em entrevista, o presidente do PT argumentou que grampos telefônicos não são suficientes para comprovar o envolvimento “nem do Marconi” com o esquema do bicheiro Carlinhos Cachoeira. Pouco antes, em discurso a prefeitos e parlamentares do PT paulista em um hotel na Grande São Paulo, Falcão acusou Perillo de ter recebido R$ 500 mil do esquema em uma caixa de computador.

No discurso, cujo tema foi tática eleitoral, Falcão disse que a CPI é importante para mostrar aos eleitores que “nosso governo não dá tréguas à corrupção”.

Ele admitiu que os candidatos de partidos atingidos pelas investigações devem sofrer desgaste eleitoral, mesmo que não tenham vínculo algum com o esquema de Cachoeira.

Ao citar o senador Demóstenes Torres (sem partido, GO), Falcão fez questão de lembrar que “até um mês atrás ele era do DEM”.

Falcão também aproveitou as ligações entre Cachoeira e um jornalista, reveladas em grampos da Polícia Federal, para cobrar a criação de um marco regulatório para a mídia.

O presidente do PT incluiu setores da imprensa entre os adversários a serem vencidos nas eleições municipais deste ano e vinculou a grande mídia aos bancos, alvos de críticas recentes da presidenta Dilma Rousseff. Segundo Falcão, alguns órgãos de imprensa estão “conjugados” ao sistema financeiro, com quem teriam interesses comuns.

    Leia tudo sobre: cpi do cachoeirarui falcão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG