Aécio diz que ‘não é impossível’ que Serra se candidate em 2014

Em evento do PSDB, pré-candidato a prefeito de São Paulo disse apenas que declaração ‘é gentileza’ do senador

Nara Alves, iG São Paulo |

O senador tucano Aécio Neves (MG) admitiu nesta sexta-feira (27) que José Serra , pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, pode se candidatar à Presidência nas eleições de 2014. “O Serra tem demonstrado que quer ficar na prefeitura [se vencer a eleição]. Me perguntaram se seria impossível ele ser candidato em 2014. Não é. Hoje o caminho natural é que ele vença e fique para governar São Paulo”, disse o senador ao participar do 1º Congresso Nacional do Núcleo Sindical do PSDB, na capital paulista.

Leia também: Citado no caso Cachoeira, Perillo cancela participação em evento do PSDB

Poder Online: Depois de congresso tucano, Alckmin e Aécio dividem táxi

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

Nilton Fukuda/AE
Aécio Neves e José Serra participam do 1º Congresso Nacional do Núcleo Sindical do PSDB, em SP

Serra também participou do evento, que reuniu a cúpula tucana: Geraldo Alckmin (governador de São Paulo), Sérgio Guerra (presidente nacional do PSDB), Pedro Tobias (presidente estadual PSDB-SP). Sobre a declaração de Aécio, Serra disse apenas que é “uma gentileza do tucano”. Esse foi o primeiro encontro público de Aécio e Serra desde a convenção do partido em maio do ano passado .

Os dois trocaram poucas palavras em público, mas Aécio disse ao iG que eles estão marcando um encontro para os próximos dias. E elogiou o ex-governador: “O Serra é uma figura extraordinária e ele vai ser sempre avaliado para todos os cargos. Hoje ele diz com absoluta clareza e sinceridade que, se vencer a eleição, vai ficar na prefeitura. Nós temos de acreditar nisso”.

A promessa de Serra para ficar na Prefeitura de São Paulo até o fim do mandato caso vença a eleição vem sendo explorada tanto por adversários como por aliados. Em 2006, o tucano deixou o comando da prefeitura da capital paulista para concorrer a governador do Estado e venceu a eleição. No entanto, dois anos antes, em 2004, ele havia assinado assinou um papel prometendo cumprir o mandato até o fim.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG