Após denúncias, dono da Delta deixa comando da empresa

Empresa de Fernando Cavendish está no centro das investigações da Polícia Federal que apuram negociatas de Carlinhos Cachoeira

AE |

Fernando Cavedish, proprietário da Delta, vai se afastar do comando da empresa, juntamente ao diretor Carlos Pacheco. A decisão será anunciada nesta quarta-feira, em Brasília, em uma carta encaminhada pela Delta à Controladoria Geral da União (CGU), na qual a empresa anunciará o início de uma auditoria por meio de uma empresa independente.

Leia também:  Em áudio, dono da Delta diz que é fácil comprar políticos

Saiba mais:  Delta ganhou R$ 862 milhões em 2011 com obra federal

A direção da Delta, durante a investigação, ficará a cargo de Carlos Alberto Verdini. A Delta está no centro das apurações das denúncias de uma rede de corrupção encabeçada pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira .

Na quarta-feira, a CGU anunciou a abertura de um processo para apurar as denúncias de tráfico de influência e corrupção pela empresa . As suspeitas da Polícia Federal são de que a construtora teria alimentado doações eleitorais repassadas por Cachoeira. 

Se for declarada inidônea, a Delta será proibida de firmar contrato com órgãos públicos e os contratos existentes poderão ser cancelados. Segundo levantamentos, a Delta é a principal construtora do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). Apenas no ano passado, a empresa faturou mais de R$ 862 milhões com obras federais .

A CGU afirmou que a empresa terá o direito de se defender das denúncias e não há um prazo para conclusão do processo. 

Além da investigação da CGU, a empresa será alvo da Comissão Parlamentar Mista de Inquério (CPI) instalada para investigar o elo de Carlinhos Cachoeira com servidores públicos e privados

iG explica:  Entenda a rede de 'negociatas' do Carlinhos Cachoeira

Acuada pelas denúncias, a Delta já começou um movimento de abandono de grandes obras, como a  sua participação nos consórcios que tocam a reforma do Maracanã , a construção da TransCarioca e do polo petroquímico de Comperj. Com 25 mil empregados diretos e 5 mil indiretos, a empresa tenta agora evitar o efeito dominó que atingirá outros projetos.

Prisões

Também nesta quarta-feira, o ex-diretor da Delta Construções Claudio Abreu, afastado da empresa no dia 8 de março, o vereador de Anápolis Wesley Silva (PMDB-GO) e o servidor do governo do Distrito Federal Valdir Reis foram presos em Goiás, durante a Operação Saint-Michelt.

Leia também:  Ex-diretor da Delta e vereador de Anápolis são presos em Goiás

A operação, deflagrada pelo Ministério Público do Distrito Federal, com apoio do MP de Goiás e da Polícia Civil do Distrito Federal durante esta madrugada, tem origem na Operação Monte Carlo , da Polícia Federal, que prendeu Carlinhos Cachoeira em fevereiro .

De acordo com o MP-DF, Claudio Abreu, Wesley Silva, Valdir Reis e os demais presos na operação podem ser transferidos para Brasília ainda hoje. Eles devem prestar depoimento na Polícia Civil da capital federal.

Com Agência Estado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG