Lewandowski pediu o desmembramento das investigações contra Carlos Leréia, Sandes Júnior e Stepan Nercessian

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta terça-feira (24) a abertura de três inquéritos contra os deputados federais Carlos Leréia (PSDB-GO), Sandes Júnior (PP-GO) e Stepan Nercessian (PPS-RJ).

CPI do Cachoeira: Relator diz que vai investigar 'doa a quem doer'

Exclusivo: “Não dedo nem meus inimigos”, diz tucano amigo de Cachoeira

Lewandowski atendeu a um pedido feito pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que pediu o desmembramento das investigações contra os três deputados do inquérito em que está sendo apurada a ligação do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) com o empresário Carlos Augusto Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira.

iG Explica: Entenda a rede de 'negócios' do bicheiro Cachoeira, alvo da CPI

Galeria de fotos: Veja quem são os integrantes da CPI do Cachoeira

O ministro concluiu que não haveria conexão entre os fatos imputados aos deputados e aqueles envolvendo Demóstenes. Todos são investigados por supostas ligações com Cachoeira, que, segundo a Polícia Federal, organizou um esquema de jogo ilegal em Goiás e de lavagem de dinheiro. Mas, cada um dos parlamentares será investigado por uma relação diferente com Cachoeira.

Como o processo corre sob segredo de Justiça, os detalhes dos fatos envolvendo cada parlamentar não foram revelados ao público.

Segundo investigação da PF, Lereia negociava com o grupo de Cachoeira e teria recebido depósitos bancários e bens - inclusive imóveis - obtidos com atividades ilícitas. Leréia é aliado do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e, a exemplo do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), também usava um telefone da marca Nextel, habilitado nos Estados Unidos, cedido por Cachoeira para dificultar grampos nas comunicações do grupo.

Stepan Nercessian confirmou que recebeu R$ 175 mil de Cachoeira, de quem disse ser amigo há 19 anos. Ele chegou a afirmar que desconhecia as atividades ilegais de Cachoeira e explicou ter tomado o "dinheiro emprestado de emergência", mas que o mesmo já teria sido devolvido. Nercessian se licenciou do seu partido, o PPS, e pediu investigação contra si próprio.

Já Sandes Júnior surgiu nas interceptações da Polícia Federal tratando sobre editais de concorrência com Cachoeira.

Com Valor Online

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.