Marcha contra corrupção reúne 6 mil em Brasília, diz PM

Sob sol forte, manifestantes percorrem Esplanada pedindo fim à impunidade. Em São Paulo protesto acabou em confronto com a polícia

Fred Raposo, iG Brasília |

O início da festa dos 52 anos de Brasília foi marcado pela terceira edição da Marcha contra a Corrupção, que reuniu este sábado 6 mil pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar, na Esplanada dos Ministérios. Ao todo, o governo do Distrito Federal prevê gastar R$ 10 milhões com as comemorações do aniversário da cidade.

Os manifestantes se concentraram a partir das 9h em frente ao Museu Nacional da República. Sob sol forte, mas embalados por um trio elétrico e megafones, eles percorreram a Esplanada pedindo o fim do voto secreto, agilidade no julgamento do mensalão e o fim da impunidade em casos de mau uso do dinheiro público.

AP Photo/Eraldo Peres
Jovem em frente à bandeira do Brasil na Marcha Contra a Corrupção, que reuniu 6 mil pessoas este sábado em Brasília
“O calor patriota é muito mais quente”, afirmou o aposentado Joel Câmara, 79 anos, que mesmo após três horas de caminhada mantinha a disposição. “Se os políticos não tomarem vergonha na cara, essa juventude vai expulsá-los do Congresso”. Alguns manifestantes usavam máscara popularizada pelo filme “V de Vingança”, que se tornou símbolo de protestos contra ganância corporativa. Outros carregavam cartazes.

A marcha é organizada pelo Movimento Brasil Contra a Corrupção (MBCC), mas conta com a participação de outras entidades. A primeira edição aconteceu em 7 de setembro do ano passado e a segunda, em 15 de novembro. Uma das integrantes do MBCC, a professora de educação física Cláudia Cunha, 45 anos, explica que o protesto nasceu nas redes sociais.

EVOLUÇÃO: Veja imagens das mudanças em Brasília nos últimos 50 anos

“Estávamos todos indignados co o voto secreto no Congresso, que absolve os políticos de irregularidades. Nos falamos primeiro pela internet e só então o povo veio para a rua”, recorda. Ela conta que a página do MBCC no Facebook conta com mais de 3 mil adesões.

“Quando você está calado, é conivente com a corrupção. Mas podemos mudar isso com a conscientização, que chamamos de reforma política popular. Um clique traz outro clique, que traz outro clique, e assim por diante”, reforça Cláudia. A próxima marcha está prevista para acontecer no dia 7 de setembro.

Outros Estados

AE
Policiais impediram prosseguimento de protesto à noite em São Paulo

A mesma mobilização se repetiu em outras capitais brasileiras neste sábado. Em São Paulo, a manifestação ocorreu na Avenida Paulista à tarde e, no início da noite, acabou em confronto entre a polícia militar, que queria impedir o bloqueio da via, e manifestantes .

No Rio, com o tradicional brado “O povo unido jamais sera vencido”, um grupo formado principalmente por jovens liderou a marcha contra a corrupção pela Praia de Copacabana, na zona sul. Com apitos, nariz de palhaço, cartazes e faixas, os manifestantes pediram a moralização da política e o fim dos desvios de dinheiro público. Os policiais seguiram os manifestantes a pé e com o apoio de quadriciclos e carros de patrulha.

Um dos organizadores do movimento, Eric Chendo, disse que entre as principais reivindicações dos manifestantes estão o fim do voto secreto no Congresso Nacional e a tipificação da corrupção como crime hediondo.

Agência Globo
Praia de Copacabana foi palco da manifestação no Rio


Matéria a tualizada às 21h45min. Com informações da Agência Brasil.

    Leia tudo sobre: marchacorrupçãoesplanadabrasíliacongresso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG